Bank of America tem lucro líquido de US$ 1,40 por ação

O Bank of America Corp. teve lucro líquido de US$ 2,22 bilhões (US$ 1,40 por ação) no segundo trimestre encerrado em 30 de junho de 2002, em comparação com um lucro de US$ 2,02 bilhões (US$ 1,24 por ação) no mesmo período de 2001. Citando o sólido desempenho de suas operações de banco ao consumidor e benefícios decorrentes de controle de custos, o Bank of America informou que o resultado do segundo trimestre cresceu 13%. A estimativa de analista da Thomson First Call era de um lucro por ação de US$ 1,39 no segundo trimestre. A receita caiu 1% para US$ 8,74 bilhões, de US$ 8,86 bilhões no ano anterior. Analista entrevistado pela First Call esperava que a companhia registrasse uma receita de US$ 8,94 bilhões no segundo trimestre. O banco alocou US$ 888 milhões para cobrir empréstimos podres, superior aos US$ 800 milhões no ano passado. A companhia adotou este ano a norma contábil FAS No. 142, que exige que as empresas efetuem baixa contábil de seus ativos para refletir qualquer declínio permanente em valor. O efeito da amortização de ágio em 2001 totalizou US$ 155 milhões, ou US$ 0,09 por ação. As falências de empresas nos Estados Unidos deverão atingir o segundo ano consecutivo recorde, após pedidos de concordata apresentados pela Adelphia Communications Corp., Global Crossing Ltd. e Kmart Corp. O Bank of America disse na semana passada que teve uma exposição mínima à WorldCom. Antes o banco havia perdido US$ 231 milhões em empréstimos podres para a empresa norte-americana de energia Enron Corp. O lucro do banco de investimento cresceu 2%, já que a demanda por bônus contrabalançou uma queda do mercado acionário. As informações são da agência Dow Jones e de outras agências internacionais.

Agencia Estado,

15 de julho de 2002 | 12h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.