Baosteel negocia com Vale e diz que não falaram de preços

A chinesa Baosteel ainda está emnegociações com fornecedores de minério de ferro, mas os doislados não deram início às discussões sobre os preços para o anofiscal que começa em 1o de abril, afirmou o chefe de compras dematéria-prima da empresa na quarta-feira. Ele negou uma notícia da imprensa australiana segundo aqual o maior fabricante de aço da China suspendeu asnegociações anuais de preços com importantes fornecedores deminério de ferro como BHP Billiton Ltd, Rio Tinto e a Vale . "Ainda estamos mantendo negociações com as mineradorasdentro dos procedimentos comerciais e regras normais", disseWang Liqun à Reuters por telefone. "Em relação às muitas especulações sobre os aumentos depreço, quero apenas dizer que os dois lados ainda nem chegaramà fase de negociação de preço. Ainda estamos trocando opiniãosobre a demanda". O Australian Financial Review noticiou na quarta-feira queuma autoridade do Anshan Iron and Steel Group, o terceiro maiorfabricante de aço da China, disse ao jornal que a Baosteeltinha encerrado a negociação devido ao preço alto pedido pelasmineradoras. Fontes da indústria na Austrália disseram que a primeiraoferta da Vale era de um aumento de 70 por cento sobre ospreços atuais, o mesmo nível de ajuste conseguido em 2005, masrepresentantes da Vale negaram-se a confirmar esse número. Umafonte da empresa havia afirmado à Reuters no fim de dezembroque a proposta giraria em torno de 30 a 50 por cento. Traders chineses sugeriram que o lado chinês está adiando omáximo possível qualquer discussão sobre preço, na esperança deque uma economia global em queda após a crise do setor dehipotecas de risco nos Estados Unidos possa impulsionar suaposição nas negociações. Outro complicador é o anúncio da BHP de que faria umaoferta pela Rio Tinto. A empresa ainda não fez uma ofertaformal e tem até 6 de fevereiro para isso --dando asiderúrgicas asiáticas um incentivo para esperar até o prazofinal antes de agir nas negociações de preços. (Reportagem adicional de James Thornhill em Sydney e LucyHornby em Pequim)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.