Barbatana de tubarão é banida de restaurantes da Califórnia

Outros seis estados americanos já vetaram o tradicional prato chinês para proteger a espécie

02 de julho de 2013 | 12h02

SÃO PAULO - As barbatanas de tubarão, que fazem grande sucesso na culinária chinesa mas dão urticária nos ecologistas, estão proibidas a partir desta semana na Califórnia.

Outros seis estados americanos já adotaram a medida para proteger a população de tubarões, que tem diminuído significativamente com o aumento do apetite da crescente classe média chinesa.

Barbatanas de tubarão não podem faltar em boas festas e cerimônias na China. Mas os chineses que moram nos Estados Unidos vão começar a sentir falta do prato.

O produto virou símbolo de populações de tubarões dizimadas, que já teriam sofrido redução de cerca de 10% segundo o jornal Los Angeles Times. Cerca de 73 milhões de tubarões são mortos por suas barbatanas a cada ano, segundo estimativas citadas pelo jornal.

Muitas vezes as barbatanas são obtidas pelo processo conhecido como finning - corte das barbatanas com os tubarões ainda vivos abandonados amputados no mar para morrerem afogados.

A barbatana de tubarão acrescenta pouco ou nenhum sabor às sopas. Ela é valorizada apenas pela sua textura e por deixar a sopa mais espessa. Já a carne do peixe tem pouquíssima procura.

Mercearias da Califórnia que vendem as barbatanas secas e restaurantes que oferecem o prato em seus menus terão 18 meses para continuar vendendo até livrarem-se dos estoques.

Segundo o jornal Los Angeles Times, varejistas em Chinatown já lamentam a proibição do prato popular na China desde a Dinastia Ming, e até recentemente considerado indispensável em banquetes de casamento e ocasiões oficiais.

"Por que só o povo chinês na Califórnia é proibido enquanto as barbatanas são legais em muitos outros estados?", questionou o empresário Emily Gian, dono de uma mercearia no bairro chinês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.