André Dusek|Estadão
André Dusek|Estadão

Barbosa diz que governo vai continuar a trabalhar por reequilíbrio fiscal

Novo ministro da Fazenda seguiu o discurso de seu antecessor sobre a necessidade de ajuste nas contas públicas

Bernardo Caram, Carla Araújo, Lorenna Rodrigues, Murilo Rodrigues Alves, O Estado de S.Paulo

18 Dezembro 2015 | 19h36

Indicado nesta sexta-feira, 18, ao Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa iniciou coletiva de imprensa no Palácio do Planalto afirmando diversas vezes a importância do equilíbrio fiscal. Tido praticamente como um mantra de Joaquim Levy, o ajuste fiscal é o ponto que gera receio no mercado com a substituição dos ministros, já que Barbosa tem perfil desenvolvimentista. Barbosa era titular do Planejamento e assumirá o cargo no lugar de Joaquim Levy, que estava muito desgastado no governo.

Em sua apresentação, Barbosa tentou mostrar que não vai permitir a expansão de gastos quando assumir a Fazenda. “O foco continua a ser o reequilíbrio fiscal. Somente com estabilidade fiscal vamos ter um crescimento sustentável”, disse. “A estabilidade fiscal contribui para a redução da inflação”, ressaltou, ao afirmar que o governo está empenhado nesse sentido. Segundo Barbosa, o governo já vinha adotando iniciativas de controle e despesa e reformas estruturais.

O novo ministro da Fazenda vai deixar o Planejamento sob o comando do atual ministro-chefe da Controladoria Geral da União (CGU), Valdir Simão. “O Planejamento está em boas mãos com o Simão”, disse.

De acordo com Barbosa, o País está em fase de transição da economia, “uma fase de ajustes, de construção das bases para um novo ciclo de crescimento”. “Essa construção passa primeiramente por um esforço de reequilíbrio fiscal”, ressaltou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.