Barclays vende área de gestão de recursos por US$ 13,5 bilhões

Com a aquisição, americana BlackRock se torna a maior gestora de recursos do mundo

, O Estadao de S.Paulo

13 de junho de 2009 | 00h00

A empresa de gestão de recursos BlackRock fechou a compra da Barclays Global Investors, do gigante bancário britânico Barclays, por cerca de US$ 13,5 bilhões, em um dos maiores negócios da história do setor de gerenciamento de recursos. O negócio cria a maior companhia de gestão de recursos do mundo - uma potência com quase US$ 3 trilhões em ativos.O negócio é o maior para a BlackRock, que passou, no espaço de duas décadas, de uma firma de investimento em bônus de apenas uma sala para se tornar a maior gerenciadora de ativos do mundo, com forte presença num leque de estratégias de investimento e clientes que incluem o governo dos EUA e muitos fundos soberanos. A nova companhia se chamará BlackRock Global Investors."O acordo apenas junta produtos que ninguém mais poderia oferecer", disse Laurence D. Fink, presidente executivo da BlackRock. O negócio pode ser um prenúncio de novas consolidações na medida em que as empresas de gerenciamento de ativos procuram enfrentar os danos causados pela volatilidade recente do mercado.Após a conclusão do acordo, que deve ocorrer até o final deste ano, a BlackRock terá mais de US$ 2,7 trilhões em ativos, ficando à frente de concorrentes como State Street e Fidelity Investments.Fink e Robert E. Diamond Jr., presidente do Barclays, discutiram inicialmente um potencial acordo há seis ou sete anos, mas concordaram em que o momento não era oportuno, disse Diamond. Fink contatou Diamond novamente no início deste ano, após ouvir que o Barclays estava pensando em vender a unidade iShares da Barclays Global Investors.DINHEIRO E AÇÕESA BlackRock pagará em dinheiro e ações pela Barclays Global Investors, após ter levantado bilhões de dólares de vários investidores institucionais, que algumas fontes disseram incluir grandes fundos do Oriente Médio. O Barclays receberá uma participação de 19,9% na companhia combinada, e Diamond e John Valey, o presidente executivo do Barclays, ingressarão no conselho de administração.A Barclays Global Investors, que opera em 15 países e gerencia mais de US$ 1 trilhão em ativos, teve uma receita de US$ 2,9 bilhões em 2008.Com a venda da unidade, o Barclays ganhará músculos financeiros num momento em que vinha ficando atrás de rivais que aceitaram ajuda do governo britânico. Como o Barclays dispensou a ajuda do governo, ele teve de se apoiar em investidores privados para reforçar seu balanço.O acordo também dará ao Barclays dinheiro para continuar expandindo seus negócios bancários de investimento, uma campanha que começou nos últimos meses do ano passado, quando ele adquiriu a maioria dos negócios norte-americanos do Lehman Brothers. O banco começou uma orgia de contratações na Europa e na Ásia para impulsionar seu crescente negócio de consultoria em private equity e fusões. As ações do Barclays subiram mais de 90% neste ano, enquanto as de empresas rivais, incluindo as do HSBC Holdings, caíram.Alguns investidores externaram preocupações com a venda do que chamaram de "prata da família", mas o próprio mix de negócios do Barclays agora pesará mais para o setor bancário de investimentos, uma fonte de receitas mais imprevisível que ao gerenciamento de ativos.Além disso, a empresa britânica se tornará uma grande investidora na BlackRock, uma das poucas empresas que evitaram danos sérios com a crise financeira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.