Barreiras dentro do Mercosul dificultam negociações com UE

O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, avaliou hoje que a imposição por parte da Argentina de barreiras comerciais ao Brasil levaram a União Européia (UE) a imaginar que o Mercosul é "frágil". As barreiras dentro do próprio Mercosul teriam freado as negociações entre os dois blocos na semana passada. "Na minha opinião pessoal, a UE, ao observar essa situação, avaliou que não haveria consenso interno, e ela poderia brecar as negociações para voltar a discutir mais a frente", disse o ministro, durante palestra no 1 º Seminário de Oportunidades de Negócios Internacionais, em Ribeirão Preto (SP).Negociações na OMCEle afirmou ainda que a única expectativa neste ano em relação às negociações da Organização Mundial de Comércio (OMC) é que seja produzido um documento generalista em que se estabeleça caminhos para o futuro. "Um possível acordo na OMC está difícil porque os interesses são muito dispersos", disse o ministro. "A grande tendência neste momento é de que consigamos um texto genérico no qual não vai entrar nenhum número ou modalidade específicos porque não vai dar tempo", acrescentou Rodrigues.O ministro da Agricultura classificou o texto que está sendo discutido na Suíça "como um avanço em relação à situação atual, que é precária para o Brasil, mas muito inferior do que o País quer". De acordo com Rodrigues, o sentimento geral é de que ninguém está satisfeito com o documento como está hoje mas, no entanto, significa que nenhum País será beneficiado integralmente. "O documento não é bom, mas é o possível, e pode ser que ele seja modificado durante esta semana", observou Rodrigues. Ele classificou como "pequeno impasse" a paralisação das negociações entre União Européia e Mercosul e como "relativamente paradas" as conversas para a formação da Área de Livre Comércio das Américas (Alca).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.