Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Barril do petróleo bate novo recorde e passa de US$ 102

Medo de escassez na produção e desvalorização do dólar impulsionam os preços.

Da BBC Brasil, BBC

27 de fevereiro de 2008 | 10h10

O preço do barril do petróleo bateu um novo recorde nesta quarta-feira ao ser negociado em US$ 102,08 no pregão eletrônico da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex).A nova alta se sucede ao recorde batido na terça-feira, quando o barril do petróleo leve chegou a US$ 101,43.Após a abertura do pregão da Bolsa Intercontinental (ICE, em Londres), nesta quarta-feira, o petróleo Brent, referencial na Europa, estava sendo negociado a US$ 100,53 o barril, após ter fechado a terça-feira na marca dos US$ 99,47.Os altos preços são impulsionados pela incerteza acerca da reunião dos membros da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo), que no dia 5 de março devem anunciar, em Viena, uma redução na produção de petróleo."Parece que a Opep está relutante em ouvir os pedidos dos líderes ocidentais para acrescentar mais barris no mercado com o objetivo de aliviar os preços", disse Robert Laughlin, da consultoria MF Global.Dólar desvalorizadoA desvalorização do dólar - pelo qual a commodity é cotada - diante de outras moedas também é um fator que empurra os preços do petróleo para cima, além dos fortes temores de uma alta da inflação dos EUA em janeiro."O dólar enfraquecido diante do euro e as projeções indicando que houve alta na inflação americana em janeiro também são um agravante", disse Victor Shum, analista de energia na Purvin & Gertz, em Cingapura. As altas do petróleo também puxaram as principais bolsas européias para baixo nesta quarta-feira. O índice FTSE, da Bolsa de Londres, operava em baixa de 0,75% às 12h30 (9h30, no horário de Brasília). Em Paris, as ações acumulavam perdas de 0,65% e a Bolsa de Frankfurt recuava 0,52%.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
altapetróleoinflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.