Barroso quer alta da capacidade efetiva de fundo europeu

O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, afirmou em entrevista ao jornal alemão Der Tagesspiegel que não tem defendido um aumento na capacidade total de empréstimo do atual fundo de resgate da zona do euro (que reúne os 17 países que utilizam o euro como moeda). "Tenho dito que a capacidade efetiva do fundo de resgate deveria ser ampliada. O que eu não tenho dito é que nós deveríamos exceder a soma sobre a qual já concordamos", declarou Barroso.

DANIELLE CHAVES, Agencia Estado

21 de janeiro de 2011 | 11h32

No ano passado, os países da zona do euro criaram a Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês) - um fundo de resgate que conta com 440 bilhões de euros. No entanto, em razão da forma como o fundo foi estabelecido, apenas cerca de 250 bilhões de euros estariam disponíveis para potenciais socorros futuros.

Uma proposta recente de Barroso para ampliar a EFSF tem sido interpretada até agora como um pedido para expansão do tamanho do fundo para mais de 440 bilhões de euros. O ministro da Alemanha, Wolfgang Schaeuble, repetidamente rejeitou um aumento do volume formal do fundo, mas disse que formas de ampliar o montante efetivamente disponível para socorros deveria ser discutido.

Barroso afirmou ao Der Tagesspiegel que o escopo de atividades da EFSF deveria ser ampliado. A autoridade também disse que especulações sobre uma possível reestruturação da dívida da Grécia não são úteis. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
crisezona do euroEuropafundoresgate

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.