Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Base monetária tem contração de 2,8% na média em abril

A base monetária (papel-moeda emitido mais reservas bancárias) teve uma contração de 2,8% na média dos saldos diários de abril. A variação, divulgada hoje pelo Departamento Econômico (Depec) do Banco Central (BC), fez com que o saldo da base caísse de R$ 69,290 bilhões em março para R$ 67,372 bilhões no mês passado.O valor está dentro do intervalo de variação de R$ 62,3 bilhões a R$ 84,3 bilhões deste agregado monetário fixado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) para o segundo trimestre do ano. Em 12 meses até abril, a base ainda apresenta uma expansão, na média, de 38,6%. Em abril de 2002, a base tinha apresentado uma contração de 1,6% na média, e acumulava uma expansão de 11,6% num período de 12 meses. Expansão de 3,3% na pontaPelo conceito de final de período (ponta), a base monetária teve, segundo o Depec do BC, uma expansão de 3,3% em abril, com o saldo subindo de R$ 66,032 bilhões para R$ 68,229 bilhões. Em março, a base tinha apresentado uma contração de 2,2% na ponta e acumulava uma expansão de 35,2% em 12 meses. Em abril, a base tinha expansão em 12 meses de 46%. Em abril do ano passado, a base tinha registrado uma contração de 4,3%, com expansão acumulada em 12 meses de 14,3% no conceito de ponta. A base monetária no conceito mais amplo de B1 (papel-moeda emitido, reservas bancárias e compulsórios sobre o a dicional de depósitos à vista) teve, segundo o Depec, uma expansão de 3,3% na ponta e uma contração de 2,9% na média. Recolhimento de compulsórioO volume total de compulsórios recolhidos pelo sistema financeiro ao Banco Central (BC) teve um crescimento de 3,10% em abril com relação a março. Com a variação, o saldo dos compulsórios subiu dos R$ 125,118 bilhões de março para R$ 129,008 bilhões. Em abril do ano passado, o compulsórios somavam o equivalente a R$ 64,616 bilhões, sendo R$ 26,488 bilhões em títulos públicos e R$ 38,128 bilhões em espécie. No mês passado, o total recolhido em títulos estava em R$ 39,871 bilhões e a parcela recolhida em espécie era de R$ 89,137 bilhões. Retração no M1O M1 (papel-moeda em poder do público mais depósitos à vista) teve uma contração de 2,2% na média dos saldos diários de abril. A variação divulgada hoje pelo Depec fez o saldo deste agrega do monetário cair dos R$ 89,413 bilhões de março para R$ 87,488 bilhões. No período de 12 meses até abril, o M1 ainda acumula uma expansão de 19,7%, ficando, no entanto, abaixo da marca dos 20% pela primeira vez desde julho do ano passado (19,4%). O saldo do M1 em abril estava dentro do intervalo de variação de R$ 81,4 bilhões a R$ 110,2 bilhões fixado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) para o segundo trimestre do ano.No conceito de final de período (ponta), o M1 apresentou em abril uma contração de 2,9%, com o saldo caindo dos R$ 87,107 bilhões para R$ 84,566 bilhões. Em 12 meses, o M1 apresentava uma expansão acumulada até abril de 13,1%. Em abril do ano passado, o M1 tinha registrado uma expansão de 2,1%, enquanto tinha, em 12 meses, uma expans ão de 13,6%. O M4 (conjunto de todos os ativos financeiros da economia) teve, ao mesmo tempo, uma contração de 0,1% em abril, com o saldo se reduzindo de R$ 827,488 bilhões (51,5% do PIB) para R$ 826,338 bilhões (51,2% do PIB). Em 12 meses até abril último, o M4 ainda acumula uma expansão de 8,1%.

Agencia Estado,

27 de maio de 2003 | 12h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.