Base para crescimento sustentado é desafio, diz Meirelles

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, voltou a dizer em discurso, em evento promovido no Rio, que o principal desafio do País é criar as bases para um crescimento sustentado da economia a taxas elevadas, tal qual ocorreu com alguns países da Ásia. Ele procurou diferenciar esse crescimento de uma retomada do fôlego na economia para a qual, segundo ele, as condições já estão dadas. Para o crescimento sustentado, no entanto, será preciso elevar a taxa de investimentos na capacidade do setor produtivo - caso contrário, enfatizou mais uma vez, a economia cairá em gargalos estruturais -, além da estabilidade macroeconômica, da redução do custo do capital, segundo ele, diretamente relacionada às elevadas taxas de risco Brasil ? taxa que mede a confiança na capacidade de pagamento da dívida do país. Meirelles voltou a afirmar que bolhas de crescimento são fáceis de inflar, mas muito mais fáceis de se deslanchar. Destacou os avanços nas áreas fiscal e externa como indicadores positivos para reduzir o risco e afirmou que as estimativas para a balança comercial (US$ 17,5 bilhões) e o déficit em conta corrente (US$ 4,2 bilhões) "são números conservadores dado o atual andamento" das contas externas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.