Basilar fecha fábrica e demite mais de 200

A empresa responsabilizou o 'agravamento da crise econômica' pelo fim das operações

Rene Moreira, O Estado de S.Paulo

21 de dezembro de 2015 | 07h40

A Basilar fechou a sua fábrica em Jaboticabal (SP), cidade onde a indústria de massas alimentícias surgiu em 1964. No total 215 trabalhadores perderam o emprego com o fim da produção de macarrão, o anúncio foi feita na tarde da última sexta-feira.

Na unidade haverá apenas serviço de distribuição e comercialização de mercadorias, com a fabricação de macarrão persistindo apenas em São Caetano do Sul , no ABC paulista. A empresa responsabilizou o “agravamento da crise econômica” pelo fim das operações e informou que dará “um pacote de benefícios aos colaboradores desligados, além das verbas rescisórias previstas em lei”.

A companhia alega ainda que não era mais viável manter a produção de macarrão em duas cidades. A escolha para concentrar a produção em São Caetano do Sul teria levado em conta, entre outros fatores, a melhor tecnologia da unidade do ABC.

A Basilar começou como um pequeno negócio em Jaboticabal, até crescer e se tornar uma grande indústria. Apesar do fechamento da fábrica, ainda serão mantidos no município 242 empregados nos outros setores.

História. Em 1995, a empresa foi adquirida por um grupo argentino, que também incorporou a Isabela, importante fábrica de macarrão e biscoitos do Rio Grande do Sul e a Zabet, fábrica de biscoitos situada em Lençóis Paulista, no interior de São Paulo. Na sequência comprou também a Adria, formando assim a Adria Alimentos do Brasil.

Oito anos depois, já em 2003, a organização foi adquirida pelo grupo M. Dias Branco, de Fortaleza, líder nacional na fabricação e venda de biscoitos e massas alimentícias e presente também nos setores imobiliário e de hotelaria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.