Basileia 3 pode reduzir crescimento do crédito, diz presidente do conselho do BCE

Regras elevarão o volume das reservas de capital exigidas aos bancos para cobrir potenciais perdas 

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

20 de setembro de 2010 | 10h15

As novas e duras regras bancárias aprovadas pelos reguladores mundiais no dia 12 de setembro podem reduzir, temporariamente, o crédito antes de finalmente garantirem a estabilidade financeira, afirmou o membro do Conselho de Governadores do Banco Central Europeu (BCE) e presidente do Banco Central da Áustria, Ewald Nowotny.

As planejadas regras, conhecidas como Basileia 3, elevarão principalmente o volume das reservas de capital exigidas aos bancos para cobrir potenciais perdas. As normas serão implementadas ao longo de um período de até 10 anos.

"Pelo menos em uma fase transitória, as regras da Basileia 3 podem provocar uma desaceleração na dinâmica de provisão de crédito", afirmou Nowotny, em um chat online no site do jornal austríaco Der Standard.

Nowotny

afirmou que os empréstimos de alto risco têm maior probabilidade de serem reduzidos pela Basileia 3, porque as exigências de capital mais elevadas vão forçar os bancos a serem mais eficientes na ponderação de risco dos seus ativos.

"Em razão da melhor avaliação dos riscos, as categorias de crédito que se revelaram problemáticas serão impactadas primeiramente", disse Nowotny.

Segundo ele, não há pressões inflacionárias ameaçando a meta do BCE de manter a inflação próxima ou abaixo de 2% no médio prazo. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.