bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Bayer corta perspectiva de ganhos para plásticos por aumento nos preços

A fraca demanda por plásticos e produtos químicos da Bayer forçou o diversificado grupo de cuidados de saúde a reduzir suas perspectivas para sua divisão MaterialScience, ofuscando os ganhos em sua unidade de pesticidas agrícolas.

Reuters

25 de abril de 2013 | 09h51

O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, depreciação e amortização) do primeiro trimestre cresceu 0,4 por cento, para 2,45 bilhões de euros (3,18 bilhões de dólares), o que foi um pouco abaixo da estimativa média de 2,59 bilhões de euros de uma pesquisa da Reuters.

O lucro nos negócios principais da unidade da Bayer MaterialScience, a maior fabricante mundial de plásticos transparentes utilizados em óculos esportivos, DVDs e luzes do carro, caiu em mais de 25 por cento.

O negócio elevou os preços para responder ao aumento dos custos de materiais petroquímicos precursores, o que afetou o volume das vendas. Uma cara parada para manutenção na América do Norte também prejudicou o lucro.

A Bayer, que celebra o seu 150o aniversário este ano, cortou as perspectivas da divisão para o Ebitda ajustado no fechado do ano, no qual anteriormente esperava por um aumento.

A empresa, no entanto, manteve a previsão do grupo para um aumento percentual de um dígito médio do Ebitda ajustado, conforme novos medicamentos, como a sua pílula para prevenção de derrames Xarelto, devem ter uma absorção rápida e em meio à forte demanda por herbicidas e tratamentos para sementes da unidade de químicos das plantações.

(Reportagem de Ludwig Burger)

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASBAYERRESULTADO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.