Bayer cortará mais 4.700 empregos

A Bayer AG, gigante de produtos químicos e farmacêuticos da Alemanha, anunciou que tomará outras medidas em âmbito global para alinhar as capacidades de produção e otimizar as estruturas de custos, em vista da situação econômica e a maior concorrência internacional. Como resultado, outros 4.700 empregos deverão ser cortados no mundo todo até 2005. Esses planos foram apresentados pelo conselho administrativo em reunião realizada hoje junto ao conselho de supervisão. Anteriormente, a Bayer havia anunciado que a redução global do quadro de pessoal seria de 10.300 postos de trabalho nos próximos quatro anos, inclusive 1.800 posições já eliminadas, como parte do atual programa de reestruturação, a realização de sinergias a partir da aquisição da Aventis CropScience, e os cortes de emprego na divisão de produtos farmacêuticos, devido à retirada do medicamento Lipobay/Baycol. A reorganização do grupo e o atual estado da economia mundial levaram a empresa a abolir outras 4.700 posições, das quais 40% ocorrerá na Bayer AG, na Alemanha. Detalhes de como os cortes de emprego serão implementados serão discutidos em consulta com os representantes dos trabalhadores. No início de outubro, a Bayer CropSciente deverá tornar-se a primeira das empresas operacionais a obter independência legal, com efeito econômico retroativo a partir de 1 de janeiro de 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.