Hélvio Romero/Estadão
Hélvio Romero/Estadão

Bayer vence 1ª edição do Estadão Empresas Mais

Anuário elaborado em conjunto com a Fundação Instituto de Administração (FIA) será publicado no dia 10; empresas de 22 setores foram premiadas

O Estado de S. Paulo

29 Setembro 2015 | 10h23

O Estadão revelou na manhã desta terça-feira os vencedores do ranking Empresas Mais, que traz uma lista das companhias brasileiras com os melhores resultados em 22 setores avaliados. O ranking será anual e foi elaborado a partir de uma metodologia inovadora da Fundação Instituto de Administração (FIA), com o acompanhamento técnico da equipe do Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado.

A lista divulgada hoje estará na primeira edição do Empresas Mais, anuário que chegará às principais bancas de jornal no dia 10. Um resumo dos resultados será publicado em um encarte especial do Estadão no próximo dia 9. 

A empresa com o melhor desempenho em todos os setores foi a Bayer, vencedora na categoria de indústria química e petroquímica. Entre os bancos, a primeira posição ficou com o Banco do Brasil, seguido de Caixa e BTG Pactual. Já os vencedores do varejo foram  Lojas Renner (1º), Lojas Americanas (2º) e Via Varejo (3º). Entre os primeiros colocados nas suas categorias estão também Embraer, Raízen, Telefônica, Cielo, CCR e Whirlpool.

O anúncio dos ganhadores foi feito em cerimônia na Casa Petra, em São Paulo. Além de representantes das empresas premiadas, participaram da solenidade o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

O presidente do grupo Bayer no Brasil, Theo Van Der Loo, disse que a divisão brasileira da companhia alemã está próxima de se tornar a 3ª maior subsidiária da companhia no mundo. "Isso coloca o Brasil em destaque", disse ao receber o prêmio do Empresas Mais. O executivo disse que a companhia está deixando o setor químico para se focar em sua divisão de saúde. 

Metodologia. Para identificar os destaques setoriais, a FIA avaliou os balanços financeiros de cerca de 5.000 empresas entre 2011 e 2014. As vencedoras foram as empresas que tiveram o melhor "coeficiente de impacto financeiro", indicador criado pela FIA e que considera tanto o resultado da companhia quanto o seu porte. "É uma metodologia inovadora. Fizemos uma série de transformações matemáticas para colocar em bases comparáveis empresas de tamanhos diferentes", disse o coordenador de projetos da FIA, Sérgio de Oliveira Assis.

O coeficiente de impacto financeiro é uma média de outros dois indicadores. O primeiro deles avalia o porte da empresa e foi calculado com base no seu faturamento e no volume total de ativos. O segundo se refere ao desempenho das companhias e considera a expansão da receita e o retorno sobre o ativo. 

Conteúdo. Além da lista de vencedores, o Empresas Mais terá informações de mercado sobre os 22 setores avaliados e as companhias que se destacaram em cada categoria. O anuário também terá uma relação das 1.500 maiores empresas do Brasil, elaborada a partir do faturamento anual das companhias.

De acordo com o diretor de Projetos Especiais do Estadão, Ernesto Bernardes, o Empresas Mais reforça o posicionamento do Estadão como líder na produção de conteúdos de Economia e Negócios no Brasil. "É importante para o Estadão premiar as empresas mais eficientes e oferecer conteúdo relevante para o mercado", afirmou.

"Estamos diante de uma das crises mais agudas das últimas décadas, mas mesmo nesse ambiente econômico depressivo há sim muitas companhias bem geridas, com resultados sólidos", afirmou João Caminoto, editor-chefe da Agência Estado. "Identificá-las através do 'Empresas Mais' faz parte de nossa missão de informar a sociedade sobre todos os aspectos, nesse caso positivos, da economia brasileira."

Mais conteúdo sobre:
empresas mais

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.