BB capta US$ 40 milhões no mercado norte-americano

O esforço do governo para retomar aslinhas de crédito ao Brasil não se limita às conversas que oministro da Fazenda, Pedro Malan, e o presidente do BancoCentral, Armínio Fraga, tiveram com investidores na Europa. OBanco do Brasil vem desenvolvendo um trabalho de bastidor que jácomeçou a render frutos. Hoje, a instituição conseguiu captar US$ 40 milhõesno mercado norte-americano por um prazo de sete anos com umaestratégia inovadora de negociar individualmente com osinvestidores. Além disso, no banco conseguiu mais US$ 75 milhõesde bancos europeus. Todo dinheiro será destinado ao comércioexterno. "Após cada uma dessas operações, os investidores vãoficando mais confiantes", comemorou Osanan Barros, diretor daárea internacional. "Falta pouco para recuperar as linhas perdidas",completou. Segundo ele, com a crise de confiança que abalou omercado brasileiro, o BB perdeu cerca de 20% do estoque delinhas comerciais que tinha no início do ano. Mas, nas últimassemanas, pelos menos 80% já foram recuperadas. A primeira oferta de recursos para o BB veio há cerca deduas semanas, no mesmo dia em que Malan e Fraga estavam reunidoscom banqueiros em Nova York para tentar restabelecer o fluxo delinhas para o Brasil. A partir daí, os próprios diretores egerentes do BB nas agências no exterior se empenharam num corpoa corpo para convencer bancos e investidores a emprestardinheiro ao Brasil. Na semana passada, o presidente do BB, Eduardo Guimarães esteve com alguns diretores em Portugal e na Espanha. A direçãoda instituição também manteve contato com investidores alemães,num encontro em São Paulo. Os primeiros resultados das conversascomeçaram a ser anunciados hoje.Seleção prévia"Diante dessa pressão de mercado,estamos com uma estratégia diferente", destacou Barros. Comessa estratégia, em vez de fazer uma oferta para váriasinstituições ao mesmo tempo, o BB está atuando individualmente,com investidores selecionados previamente. "Dessa forma, épossível captar com custos menores", avalia Barros. Comoalgumas conversas ainda estão em andamento, é possível que o BBanuncie novas captações nas próximas semanas. Os US$ 40 milhões captados no Estados Unidos hoje foramde um único investidor. O prazo da operação é de sete anos, comcarência de dois anos para iniciar o pagamento do principal. "Ocusto de captação ainda está acima do verificado no início doano mas está compatível com o momento que vivemos", afirmou odiretor. A operação, lastreada nas remessas que o banco recebedos Estados Unidos, obteve praticamente as mesmas condições dacaptação de US$ 450 milhões feita pelo BB no final do anopassado. Os papéis vão render aos compradores 7,89% ao ano. Já a operação no mercado europeu é de prazo mais curto eenvolveu cinco bancos. "Foi uma operação no mercadointerbancário de comércio exterior, justamente o segmento quemais vinha sofrendo com essa crise", destacou o diretor. Oprazo nesse tipo de operação varia entre 180 e 360 dias e ocusto médio foi de 2,4% ao ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.