BB e bancos privados de Brasília põem fim à greve

Os funcionários do Banco do Brasil (BB) e dos bancos privados de Brasília decidiram hoje à noite voltar ao trabalho amanhã. "Optamos por suspender a greve para concentrarmos esforços na paralisação da Caixa Econômica Federal e melhor organizarmos o movimento como um todo", disse o diretor do Sindicato dos Bancários de Brasília, Eduardo Araújo. O sindicalista admitiu que o movimento hoje contou com uma adesão abaixo do esperado no BB e nos bancos privados. "O fato da proposta de reajuste de 6% apresentada pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) ter sido aceita em outras capitais acabou prejudicando o movimento aqui", disse.Na Caixa, a decisão tomada pela assembléia realizada hoje foi de manter a greve por tempo indeterminado. "O grande problema da Caixa é que não foi apresentada nenhuma proposta para resolver questões específicas da pauta de reivindicações", explicou Araújo. Entre estes pontos, estão redefinição do plano de cargos salários e a manutenção da distribuição de 17% dos resultados da Caixa para seus empregados. "O funcionário em fim de carreira na Caixa que entrou antes de 1998 ganha hoje duas vezes mais que um empregado no mesmo estágio que ingressou depois de 1998", disse o diretor do Sindicato dos Bancários de Brasília.Amanhã, os servidores do BB e dos bancos privados de Brasília farão nova assembléia às 19 horas. "O objetivo da assembléia é fazer uma avaliação do movimento", disse o sindicalista. Na Caixa, a assembléia para discutir a continuidade da paralisação será feita às 17 horas.

GUSTAVO FREIRE, Agencia Estado

03 de outubro de 2007 | 22h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.