BB e Bradesco compram fatias do Santander na Cielo

BB pagou R$ 1 bi por mais 5,1% da processadora de cartões, enquanto o Bradesco desembolsou R$ 457 milhões por 2,1%

, O Estado de S.Paulo

24 de abril de 2010 | 00h00

Os bancos Bradesco e Banco do Brasil anunciaram ontem que adquiriram do grupo Santander Espanha, separadamente, participações do banco nas brasileiras Cielo, processadora de cartões de crédito e débito, e Companhia Brasileira de Soluções e Serviços (CBSS). O Bradesco propôs a aquisição de 2,09% do capital social da Cielo, pelo valor de R$ 425 milhões e de 10,67% do capital da CBSS, por R$ 139,2 milhões.

"Concluída a transação, a participação do Bradesco na Cielo aumentará de 26,56% para 28,65%, e na CBSS, de 34,33% para 45%, reforçando sua participação no capital de empresas que atuam no mercado de cartões", disse o Bradesco, em comunicado.

Já o Banco do Brasil, por meio da subsidiária integral BB Banco de Investimento (BB-BI), informou que foram adquiridos 5,11% do capital social da Cielo por R$ 1,039 bilhão e 4,65% da CBSS por R$ 60,8 milhões.

Após efetivada a transação, a participação do BB-BI na Cielo aumentará de 23,54% para 28,65%, e na CBSS aumentará de 40,35% para 45%.

As ações da Cielo fecharam a sexta-feira em queda de 2,1%, a R$ 16,80. O Banco do Brasil subiu 0,61%, a R$ 29,85, e o Bradesco perdeu 0,69%, a 31,68.

Mudanças. O mercado de processamento de cartões de crédito no Brasil vem passando por um processo de reformulação, com novas empresas mostrando interesse entrando no mercado, dominado pela Cielo e pela Redecard. O governo já disse claramente que gostaria de ver outras empresas atuando no setor.

Nesse novo cenário, o Santander tem um papel fundamental. No mês passado, o banco anunciou oficialmente sua entrada no setor no Brasil. Em parceria com a empresa de tecnologia GetNet, lançou o Santander Conta Integrada, serviço que reúne produtos financeiros para lojistas e afiliação de estabelecimentos.

O serviço oferecido pelo banco consiste em uma conta corrente integrada com o recebimento do dinheiro movimentado nas transações com cartões de crédito e débito. O estabelecimento também terá um terminal leitor de cartões (chamado de POS), que permitirá, além das transações com os cartões, outros serviços, como pagamentos de contas.

O banco espanhol já tem licença para credenciar bares e restaurantes para a bandeira MasterCard. A Visa ainda tem contrato de exclusividade com a Cielo até o fim de junho. Mas, após 1.º de julho, outras empresas vão poder credenciar estabelecimentos para a bandeira americana.

O Santander espera conquistar até 2012 uma participação de 10% no volume de transações do mercado de cartões. O banco também tem a expectativa de, até o mesmo ano, ter 150 mil novas contas originadas pelo processo de credenciamento e 300 mil estabelecimentos comerciais cadastrados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.