BB e Nossa Caixa acertam 1º passo para avançar no negócio

Para o BB negociar a compra da Nossa Caixa, será assinado nesta terça um acordo de confidencialidade

Milton F.da Rocha Filho, da Agência Estado,

23 de maio de 2008 | 16h49

Uma breve reunião entre o presidente do Banco do Brasil (BB), Antonio Francisco Lima Neto e o presidente da Nossa Caixa, Milton Luiz de Melo Santos, deixou acertado os próximos passos para uma negociação da venda do controle da instituição paulista para com o BB, revelou fonte nesta sexta-feira, 23. O encontro foi realizado em um hotel em São Paulo, aproveitando-se do fato de que o presidente do BB estava em um seminário com diretores e gerentes do BB daqui, para discutir o balanço do 1. Trimestre. O primeiro passo para se negociar de fato a compra da Nossa Caixa pelo BB, será o da assinatura de um acordo de confidencialidade, o que deverá ocorrer na próxima terça-feira, 27.   Veja também:  BB negocia com governo de SP a incorporação da Nossa Caixa Banqueiros e analistas defendem leilão para Nossa Caixa Nossa Caixa não demitirá funcionários, diz sindicato Bradesco e Itaú defendem leilão para Nossa Caixa Unibanco diz ter interesse na compra da Nossa Caixa   Este acordo de confidencialidade é necessário, para que não se revele dado algum que for repassado pela Nossa Caixa sobre seus negócios. O acordo de confidencialidade sempre precede a uma due dilligency, ou seja, uma auditoria completa por parte de um comprador, e pode até ser feita depois da compra oficial.   O encontro entre os presidentes da Nossa Caixa e do BB, ocorreu durante um almoço em um restaurante de hotel na cidade. Do lado paulista, quem vai conduzir toda a negociação, desde a troca de informações será o secretário da Fazenda paulista, Mauro Ricardo, que terá um encontro na segunda-feira, com dirigentes da Nossa Caixa que participarão do processo de troca de informações.   Um outro fato comentado é de que nestas negociações já seriam utilizadas as informações que estão sendo levantadas, ou ainda a serem realizadas, pelos Bancos Fator e Citibank, na mensuração dos ativos da Nossa Caixa. Um acordo foi firmado entre o governo paulista e as duas instituições foi feita no início do ano para que se fizesse um levantamento de ativos de todas as companhias estatais paulistas, atendendo uma determinação do governador José Serra (PSDB).   Através destes parâmetros a serem levantados se chegará a um valor da Nossa Caixa. De posse do valor de seus ativos, a Nossa Caixa terá o seu preço definido e uma oferta será feita ao BB. Não há prazo para que estas negociações entre o BB e a Nossa Caixa terminem.

Tudo o que sabemos sobre:
Nossa CaixaBanco do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.