BB faz aporte de R$ 27,9 mi no Banco Popular do Brasil

O Banco do Brasil vai fazer um aporte de R$ 27,9 milhões no Banco Popular do Brasil (BPB), subsidiária da instituição que atende o segmento de baixa renda. Segundo o presidente do BPB, Robson Rocha, a capitalização será necessária para reestruturar a instituição de maneira que ela possa começar a dar lucro a partir de 2007. Segundo Rocha, várias ações serão implementadas, entre elas a troca do cartão dos clientes, que hoje só pode ser usado nos próprios correspondentes bancários do Banco Popular, e a ampliação da rede de atendimento. Com o novo cartão, que terá a função de débito, os clientes do banco popular poderão pagar contas no comércio e sacar dinheiro nos 40 mil terminais de auto-atendimento do Banco do Brasil. Logo na criação do banco, o Banco do Brasil investiu R$ 116 milhões na empresa para o início dos negócios. Em 2004, com seis meses de funcionamento, o BPB fechou o exercício com um prejuízo de R$ 25 milhões. No ano passado o déficit foi de R$ 62 milhões. Para este ano Rocha garante que o prejuízo será menor. "Nesse segmento popular todas as instituições precisam de um tempo de amadurecimento dos produtos e conhecimento dos clientes", argumentou. Segundo ele, o Lemon Bank, uma das principais instituições internacionais especializadas nessa clientela, só deixou de registrar desempenho negativo no quarto ano de funcionamento. Reestruturação Robson Rocha explicou que vai contribuir muito para o equilíbrio do banco a reestruturação da rede de atendimento. Segundo ele, o novo cartão de débito vai favorecer, inclusive, o aumento dos depósitos no banco popular. "Como o cliente vai poder pagar contas no comércio com o cartão e sacar dinheiro nos caixas automáticos do BB, não vai precisar andar com dinheiro no bolso", explicou. Outra modificação, já antecipada pelo Estado, diz respeito à qualificação da carteira de crédito. Hoje, o cliente do banco popular - geralmente autônomo e de renda declarada em torno de dois salários mínimos - tem direito a um crédito no valor de até R$ 600,00 cerca de 20 dias após a abertura da conta. Agora, só vai se habilitar ao crédito o cliente com conta aberta há mais de 90 dias e que conte com movimentação no período. Com isso o BPB espera diminuir a inadimplência, hoje em torno de 20%. O BPB possui cerca de 1,5 milhão de clientes mas já fez 2,19 milhões de operações de crédito. Do total de recursos emprestados, que somam R$ 222 milhões, R$ 137 milhões já foram pagos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.