BB libera R$ 421 mi em 2 meses para investir na safra

O Banco do Brasil liberou nos dois primeiros meses da safra 2009/10 (julho e agosto) um total de R$ 421 milhões para financiar investimentos no setor agropecuário. O montante representa um crescimento de 35% em comparação ao mesmo período da safra passada. A Região Sudeste foi a que mais captou recursos da instituição. De acordo com o banco, a soma reservada para a região foi de R$ 121 milhões, um acréscimo de 119% na comparação com os mesmos meses de 2008.

CÉLIA FROUFE, Agencia Estado

09 de setembro de 2009 | 15h56

Apesar de ter ficado em segundo lugar, com R$ 116 milhões, o Centro-Oeste apresentou queda de 20% na obtenção de crédito na comparação dos meses de julho e agosto de 2008 para 2009. A Região Sul obteve financiamentos da ordem de R$ 115 milhões do Banco do Brasil no período, um avanço de 17% em relação aos mesmos meses de 2008. O Nordeste ficou com a fatia de R$ 50 milhões (389%) e o Norte do País, com R$ 17 milhões (507%).

O Estado de Minas Gerais foi o que mais procurou o Banco do Brasil nos meses de julho e agosto para obter crédito para investir na agropecuária. Segundo dados da instituição, o Estado recebeu, no período, um total de R$ 67 milhões (117%), seguido por Paraná (R$ 56 milhões e alta de 38%), São Paulo (R$ 48 milhões e crescimento de 115%) e Mato Grosso (R$ 47 milhões e aumento de 113%).

Agricultura familiar

A agricultura familiar foi responsável pela captação de R$ 670 milhões de recursos do Banco do Brasil para custeio e de R$ 594 milhões para investimento nos meses de julho e agosto, segundo anunciou hoje a instituição. Esses valores representam um acréscimo de 74% e 535%, respectivamente, em relação aos dados verificados nos mesmo meses do ano passado, de R$ 384 milhões e R$ 93 milhões, pela ordem.

Em relação ao custeio, a principal região tomadora de recursos foi o Sul, com um montante de R$ 517 milhões, o que significa um avanço de 79% no bimestre em questão na comparação com o mesmo período de 2008. A segunda posição ficou com o Sudeste, com um total de R$ 93 milhões (+39%). Na sequência estão o Centro-Oeste, com R$ 24 milhões (+104%), e Nordeste, com R$ 23 milhões (+104%). Por fim, o Norte obteve R$ 10 milhões em recursos, o que significa um incremento de 129%.

Dentre os Estados que receberam os recursos do Banco do Brasil, o que mais abocanhou para custear a agricultura familiar foi o Paraná, com R$ 249 milhões (+86%). Também mereceram destaque do BB, Rio Grande do Sul (R$ 157 milhões ou 144% de crescimento na comparação com julho e agosto de 2008), Santa Catarina (R$ 110 milhões ou +23%) e Minas Gerais (R$ 49 milhões ou +86%).

O item que foi mais financiado pelo Banco do Brasil na agricultura familiar, nos meses de julho e agosto foi o milho, com 35,5% do total dos recursos. Em seguida vieram soja (25,4%), bovinos (12%), café (5,7%), arroz (2,5%), mandioca (2,2%) e feijão (2%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.