BB pode não aplicar reajuste proposto pela Fenaban

O Banco do Brasil (BB) não pretende aplicar de forma linear o reajuste salarial de 12,6% proposto pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) em negociação com a executiva nacional dos sindicatos de bancários. "A nossa proposta é aplicar os 12,6% para o salário de ingresso e avaliar o que fazer com as demais faixas salariais. Estes números (dos reajustes das outras faixas salariais) nós ainda não temos fechados", disse o chefe da unidade de relações com os funcionários e responsabilidade sócio-ambiental do BB, Juraci Masiero. O diferencial em relação ao proposto pela Fenaban, segundo Masiero, se deve ao fato de o BB ter "especificidades" que os bancos privados não possuem. Ele também aproveitou para negar que a greve de 48 horas decretada ontem esteja atingido todos os Estados do Brasil. "Não há indicativo de greve em São Paulo, Alagoas, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Rio Grande do Norte, Sergipe e Pernambuco", disse. Ele lembrou que em Estados como São Paulo os sindicatos preferiram aguardar a negociação já marcada para a próxima segunda-feira. O Sindicato dos Bancários de Brasília, no entanto, informou na manhã de hoje que a paralisação de 48 horas é nacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.