finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

BB quer avançar no ranking de bancos

O presidente do Banco do Brasil Cassio Casseb disse hoje que a instituição "vai fechar o ano, se Deus quiser, em segundo (lugar do ranking dos bancos) para partir para cima do Bradesco no ano que vem". Ele contou ter dito aos funcionários que como o BB não pode comprar outros bancos tem que competir. Segundo Casseb a resposta dos funcionários foi muito boa e o banco adicionou mais 1,5 milhão de clientes em sete meses. "Estamos falando de três Sudameris", afirmou Casseb. Ele contou também que a modalidade do BB de capital de giro para pequenas empresas, o BB Giro Rápido, aumentou o número de clientes este ano até agosto de 280 mil para 470 mil empresas, emprestando R$ 2 bilhões para as pequenas empresas. Casseb citou também 110 ações implantadas para simplificar os processos no crédito agrícola e o estímulo para que os agricultores façam seus investimentos no banco. Ele afirmou ainda que o banco está dando créditos pré-aprovados para investimentos de empresas. O presidente do BB contou que a instituição quer ter mais parceiros europeus e asiáticos e está implantando em Portugal o mesmo sistema impantado no Japão, o qual permitiu ao banco ter sete agências e 130 mil clientes. Segundo ele, o número de clientes em Portugal já aumentou de 8 mil para 20 mil este ano. Casseb disse também que o BB quer atuar como advisor nos projetos de parceria público privada. "O grande problema do Brasil não é dinheiro. Não há crescimento sustentado sem investimento em infra-estrutura", disse. Ele afirmou "que o País tem muita lição de casa para fazer", mas declarou-se muito animado com o Banco do Brasil e com o País. Ele participou do seminário do Ciclo Brasil em Desenvolvimento, no Instituto de Economia da UFRJ.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.