BB reduz juros para micro e pequenas empresas

O Banco do Brasil decidiu reduzir a taxa de juros aplicada sobre as operações de crédito direto ao consumidor (CDC), cheque especial, cartão de crédito e financiamento de micro e pequenas empresas. "Fizemos um estudo detalhado sobre o impacto da redução do compulsório e decidimos pegar toda a margem que essa queda nos proporcionará e devolvê-la ao nosso cliente sob a forma de juros mais baixos", afirmou hoje o vice-presidente de varejo do banco, Edson Monteiro. Com a decisão, a partir de amanhã a taxa de juros do CDC cairá de 5,90% ao mês para 5,40% ao mês. "Isso representará uma queda de 6,17% na taxa anualizada", diz Monteiro. No caso do cheque especial e do cartão de crédito, linhas em que o banco aplica o mesmo critério para definição de juros, a taxa máxima de juros mensal a ser cobrada passará para 7,90%. Atualmente essa taxa é de 8,70% ao mês. A taxa mínima continua sendo de 2,65% ao mês, segundo o executivo. Para as micro e pequenas empresas, o Banco do Brasil decidiu reduzir os juros cobrados nas operações de financiamento de capital de giro e de credito rotativo, que funciona como um cheque especial para essas empresas. Para as operações de crédito fixo, destinadas a fomentar o capital de giro das empresas, a taxa de juros cairá de 3,03% ao mês para 2,98% ao mês. No crédito rotativo, a queda será de um ponto porcentual, passando assim de uma taxa mensal de 8,69% para 7,69%. "Isso representa uma redução de 12,68% na taxa de juros anual para essas empresas", afirma Monteiro. Essa é a terceira vez que o Banco do Brasil reduz em 2003 as taxas de juros cobradas em suas operações de crédito. "Esperamos que essa redução realmente mexa com o mercado", afirmou Monteiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.