Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

BB Seguridade descarta aquisições e prevê avanço acima do mercado

A BB Seguridade, holding que controla os negócios de seguros e previdência do Banco do Brasil, espera crescer seus prêmios acima do mercado em 2016, expansão essa que pode ser de dois dígitos, de acordo com o presidente da companhia, Marcelo Labuto. A companhia vai seguir com foco em seguro de vida e previdência, segmentos que, conforme o executivo, têm alta rentabilidade, baixa sinistralidade e bom resultado com corretagem.

Aline Bronzati, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2015 | 02h05

Labuto afirmou ainda que vê maior concorrência no automóvel e que a BB Seguridade experimenta a distribuição de seguros por canais digitais. Não deu, contudo, mais detalhes de como será essa operação.

Sobre crescimento via aquisições, o presidente da BB Seguridade afirmou que a companhia não busca crescer de forma inorgânica, mas que pode avaliar oportunidades caso apareçam. Em relação ao segmento de grandes riscos, nos quais os bancos têm deixado de operar, ele disse que a companhia não tem interesse de se desfazer desse negócio.

"Tem gente vendendo, mas tem gente pagando muito bem pela carteira de grande risco. Estamos sempre avaliando possibilidades, mas, neste momento, não pensamos em vender nossa carteira", afirmou o executivo. Segundo os executivos, a BB Seguridade prevê ganhos financeiros maiores em 2016, dada a expectativa de Selic média maior que a deste ano.

Banco Postal. A BB Seguridade espera ainda concluir no ano que vem um "bom termo" de negociação com o Banco Postal para a distribuição de seguros, segundo o presidente da companhia. Atualmente, a seguradora já vende capitalização e pretende ampliar o leque de produtos com a venda de seguro residencial e também de assistências.

"A negociação continua. Não consigo dar um prazo de quando imaginamos que será concluída. Uma das nossas metas é fechar transação e conseguir vincular outros produtos. Temos um portfólio específico desenvolvido. É só uma questão de viabilizar os contratos", disse Labuto, em reunião com analistas e investidores.

Para Ângela Beatriz de Assis, diretora Comercial e de Produtos da BB Seguridade, a distribuição de mais produtos nas agências do Banco Postal tem de respeitar a agilidade do canal. "Podemos trabalhar com modelo de indicação, mas estamos estudando ainda. Podemos capturar o cliente e fazer indicação como em seguro auto", afirmou a executiva, esclarecendo que o balcão do Postal pode capturar potenciais clientes interessados e repassar a informação para uma central do grupo segurador.

Questionada sobre a possibilidade de a BB Seguridade vender seguro dental via o Banco Postal, Ângela disse que a companhia tem interesse, mas não no curto prazo.

Tudo o que sabemos sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.