BB vai reforçar financiamento às concessões

O Banco do Brasil vai concentrar esforços para financiar os projetos de concessões anunciados anteontem pelo governo. Em entrevista ao Estado, o ex-ministro dos Transportes e hoje vice-presidente de serviços e infraestrutura do Banco do Brasil, César Borges, disse que o BNDES não será o único banco público que apoiará os empreendimentos.

André Borges e Murilo Rodrigues Alves, O Estado de S.Paulo

11 de junho de 2015 | 02h04

"O Banco do Brasil vai fazer da infraestrutura uma prioridade absoluta. O banco estará vocacionado para esses projetos, vai dar toda importância e será um instrumento facilitador de crédito, até para não deixar toda essa tarefa apenas com o BNDES", comentou.

Borges disse que não está prevista a criação de uma linha específica de crédito voltada às concessões. A orientação é analisar cada projeto, individualmente, e considerar suas características, riscos de engenharia, empresas envolvidas, entre outros fatores. O resultado dessa equação vai resultar numa matriz de riscos e definirá as regras do financiamento.

"Nós vamos analisar projeto a projeto, investidor a investidor. Não haverá um plano específico para as concessões, não teremos uma caixinha para colocar todo mundo. Estaremos atentos a todos os projetos", disse César Borges. "Se o projeto é bom e tem retorno, se a liderança do consórcio também tem capacidade e você tem confiança nela, então há uma variação na taxa de risco desse projeto. Essa taxa pode ser maior ou menor, dependendo do caso. O importante é que a regra não achata todos, não força a colocar tudo numa mesma situação", disse.

Responsável pela assinatura de grande parte das concessões realizadas pela presidente Dilma Rousseff até agora, Borges informou que o Banco do Brasil não definiu um limite de caixa para empréstimo. "Não fechamos um valor limite para as concessões. Daremos o dinheiro que for preciso. Se o projeto é bom, se o patrocinador é bom, você vai atrás do dinheiro. Para o Banco do Brasil, é uma prioridade." Há previsão de que o Banco do Brasil passe a oferecer, por exemplo, mais recursos por meio de "empréstimos-ponte", um tipo de financiamento mais comumente firmado com o BNDES. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.