BBV: câmbio afetará queda da gasolina em abril

Os preços da gasolina ao consumidor final deverão cair no próximo mês, mas parte dessa redução seráafetada pela desvalorização cambial recente. Segundo estudo divulgado hoje pelo economista Luis Afonso Fernandes Lima, do BBV Banco, de acordo com os cálculos do governo - que leva em consideração as médias trimestrais dos preços externos do barril e do preço de referência estabelecido em R$ 55,00 - até o dia 20 de março os preços dos combustíveis nas refinarias poderiam cair 6,6%. Com base no comportamento da relação de preços nas refinarias e do consumidor final em momentos de alta, a redução para o consumidor final de gasolina ficaria em torno de 5,3%. "Vale lembrar que os preços do álcool também costumam acompanhar os da gasolina, ou seja, haveria provável redução nesse produto também", avalia Lima. Em reais, os preços do barril ficam mais caros por conta da desvalorização. "Considerando-se que os patamares do câmbio e do preço externo do barril se mantenham nos patamares atuais até o final do mês, teríamos uma redução de 5,8% nas refinarias", explica o economista. Mantendo-se a relação de preços refinaria/consumidor final, a redução na ponta seria de 4,6%. O BBV trabalhava com um câmbio médio no trimestre em torno de R$ 2,01, mas a desvalorização recente está levando a uma previsão de câmbio médio de R$ 2,03. Lima concorda que a tendência de aumento dos preços do barril do petróleo verificada nesta semana (na quarta houve divulgação dos estoques nos EUA e hoje o México anunciou redução das exportações) também m possa afetar a redução, mas acredita que ela será marginal."Essa contaminação poderá até ser mais forte na ponta, mas como a média é trimestral oimpacto deverá ser mínimo", avalia o economista do BBV.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.