BC adia obrigatoriedade de comitê auditor em bancos

O Banco Central (BC) poderá adiar para março de 2004 a obrigatoriedade de instalação dos comitês de auditoria pelos grandes bancos brasileiros. Originalmente, estava previsto que estes comitês deveriam estar instalados até dezembro deste ano. A hipótese de adiamento foi mencionada pelo diretor de Normas do BC, Sérgio Darcy em palestra na Câmara Americana de Comércio do Rio de Janeiro. O comitê de auditoria funcionará como uma espécie de fiscal das empresas de auditoria e do cumprimento das normas internas da instituição financeira. Além da possibilidade de adiamento, o BC estuda a elevação do limite do patrimônio de referência, dos atuais R$ 200 milhões para R$ 500 milhões. Darcy explicou que estas mudanças ainda serão apresentadas à diretoria do banco. Na sua opinião, "não há urgência" na instalação destes comitês, já que o Sistema Financeiro Brasileiro é "sólido". Além disso, segundo ele, os bancos estariam encontrando dificuldades para encontrar profissionais qualificados para integrar o comitê de auditoria. Darcy observou que estes profissionais terão que ter "grande qualificação". Além disso, não poderão ter ligações anteriores com as instituições financeiras as quais fiscalizará. A intenção do BC ao instituir esta norma é dar transparência e credibilidade aos bancos que captam grande volume de recursos junto ao público. Esta preocupação, segundo ele, aumentou nos últimos anos, especialmente após o episódio envolvendo a empresa Enron nos Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.