finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

BC alemão alerta para relaxamento em relação à crise

As boas condições dos mercados financeiros e as baixas taxas de juros não devem ser utilizadas como razão para se relaxar em relação à crise na zona do euro, advertiu o presidente do Bundesbank, o banco central alemão, Jens Weidmann, em entrevista ao jornal Bild am Sonntag.

FERNANDO TRAVAGLINI, Agencia Estado

18 de maio de 2013 | 12h00

"Estou preocupado que a boa evolução dos mercados financeiros e as taxas de juros baixas para os títulos do governo em especial poderiam resultar em esmorecimento na luta contra as causas da crise", diz ele. "Esse é um dos riscos e efeito colateral do medicamento que os bancos centrais do mundo inteiro estão agora distribuindo com a política de dinheiro barato."

Weidmann diz que continua a ter reservas sobre a ideia de o Banco Central Europeu (BCE) comprar títulos soberanos em quantidades ilimitadas para estabilizar o euro. No entanto, ele diz que as críticas de algumas medidas de resgate não significam que o banco central alemão é contra o euro. "Pelo contrário, o Bundesbank quer manter o euro, e mantê-lo como uma moeda estável".

Weidmann adverte ainda que os alemães não devem tomar decisões de investimento no pressuposto de que as taxas de juros baixas vieram para ficar. "A fase de baixas taxas de juros em que nos encontramos não pode ser permanente", diz ele, e "quem agora assume a dívida deve manter isso em mente." As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
AlemanhaBanco Centralcrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.