Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

BC alerta que reajustes salariais devem pressupor inflação baixa

No relatório trimestral de inflação divulgado hoje, o Banco Central torna a alertar, a exemplo do que já fez no relatório de setembro, "que , em um ambiente mais propício à recomposição de margens, os reajustes salariais não sejam concedidos na presunção de que a política monetária acomodará seu repasse automático aos preços".Segundo o BC, "a recuperação dos salários reais que vem sendo observada é crucial para sustentação do crescimento econômico, mas a manutenção da estabilidade depende de que essa recuperação se dê mediante concessão de aumentos nominais consistentes com a hipótese de que a inflação permanecerá baixa, e não mediante a concessão de reajustes nominais mais generosos acompanhados de maior corrosão inflacionária no futuro".Inflação começa a cair a partir de meados de 2005O Relatório de Inflação destaca que a projeção de inflação em 12 meses à frente com base no cenário de referência (juros de 17,75% ao ano e câmbio a R$ 2,75) só voltará a ficar abaixo da trajetória das metas em meados de 2005."De acordo com o cenário de referência, a inflação acumulada em 12 meses à frente está acima da trajetória das metas a partir do terceiro trimestre de 2003, e, embora com alguma redução, permanece acima durante todo o ano de 2004", diz o documento do BC.A queda prevista para meados do próximo ano indica, de acordo com o texto do Relatório de Inflação, uma convergências da estimativa de inflação em 12 meses à frente para o ponto central da meta de 2006.Perspectiva para PIBO Relatório de Inflação também trouxe uma elevação da estimativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano de 4,4% para 5%. A projeção foi realizada a partir de um cenário de referência em que as taxas juros permanecem constantes em 17,75% ao ano e o câmbio fica em R$ 2,75. Para 2005, a previsão de expansão do PIB contida no mesmo documento ficou em 4%, porcentual também estimado tendo como base o mesmo cenário de juros a 17,75% e câmbio a R$ 2,75.

Agencia Estado,

28 de dezembro de 2004 | 10h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.