BC altera cálculo da Ptax a partir de julho de 2011

O Banco Central anunciou nesta quinta-feira mudanças no cálculo da cotação média do dólar (Ptax), que deixará de ser ponderada pelo volume das operações. O novo formato entrará em vigor a partir de julho de 2011.

REUTERS

23 de setembro de 2010 | 19h05

A metodologia proposta, similar à adotada em Londres para a taxa Libor, poderia conter especulações no mercado, segundo alguns analistas. Para o BC, a modificação visa dar mais transparência à Ptax e terá o efeito de elevar o peso do mercado à vista de câmbio.

Ao apresentar a novidade, o diretor de Política Monetária do BC, Aldo Luiz Mendes, lembrou que atualmente a liquidez no mercado futuro de câmbio é maior.

"Um dos efeitos que a gente espera com essa medida é que o mercado à vista passe a ter importância maior e, por consequência, quem atua nesse mercado pode ter uma atuação mais efetiva", disse, ponderando que a medida não foi tomada com esse objetivo explícito e que o BC não considera adotar outras medidas para estimular o mercado spot.

"A mudança vai reduzir as operações casadas (spot e futuro) porque o mercado vai passar a operar menos às cegas. Não tem que esperar o dia inteiro para saber quanto perdeu ou ganhou. O risco é muito menor, então o banco não vai precisar fechar imediatamente operação no mercado futuro."

Assim, segundo o diretor, uma das consequências da medida seria reduzir o risco das operações cambiais de modo que "o rabo deixe de balançar o cachorro".

O novo cálculo da Ptax, que é usada para liquidação de contratos futuros e outros derivativos, se dará por meio de quatro consultas diárias às instituições credenciadas como dealers de câmbio.

Os resultados de cada consulta serão definidos pela média das cotações, excluídos os dois maiores e os dois menores valores informados. A Ptax será a média aritmética simples das quatro consultas e sua divulgação ocorrerá por volta de 13h.

Segundo o diretor, as leituras ao longo do dia deverão ser feitas em torno de 10h, 11h, 12h e 13h. "Não haverá um horário muito fixo para a consulta para não atrair todas as operações para um único ponto", afirmou.

"Acho que a gente vai trazer o mercado para mais cedo, deve haver uma concentração maior de operações até as 13h."

O operador de um banco em São Paulo, que pediu para não ser identificado, avaliou que a mudança pode evitar especulações do mercado por uma Ptax mais conveniente.

(Reportagem de Isabel Versiani)

Tudo o que sabemos sobre:
BACENPTAXATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.