finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

BC: alteração na compensação de cheques e DOCs

O diretor de Política Monetária do Banco Central, Luiz Fernando Figueiredo, informou que os cheques e DOCs acima de R$ 5 mil não serão mais compensados pelo na Câmara de Compensação do Banco do Brasil (BB). Eles serão processados por uma clearing privada ou para o Sistema de Transferência de Reservas do Banco Central, que deverão operar eletronicamente. Clearing é uma instituição que executa transações realizadas na mesa de operações pelo cálculo do saldo de compras e vendas. Ela também garante a entrega e o financiamento das transações sob sua responsabilidade.Figueiredo acredita que cheques e DOCs acima de R$ 5 mil tendem a desaparecer, pois os bancos devem incentivar os clientes a não realizar este tipo de transação. Isso porque a clearing privada que realizará este tipo de transação exigirá um depósito prévio das instituições como garantia da liquidação das operações. Os bancos também deverão incentivar, para valores menores, o pagamento em tempo real com o cartão de débito do cliente. Segundo ele, a câmara de compensação do BB também se desligará das prestações de serviços com cartões de crédito. O diretor do BC informou ainda que os cheques com esses valores correspondem a apenas 1,2% do número de documentos e 70% do valor compensado.Atualmente, o sistema de compensação de cheques do BB movimenta R$ 305,5 bilhões por mês (média de abril a julho de 2000). Os documentos com valores acima de R$ 5 mil, que serão retirados do sistema do BB e irão para uma clearing privada, correspondem a R$ 208 bilhões por mês, sendo R$ 100 bilhões em cheques e R$ 108 bilhões em DOCs.

Agencia Estado,

15 de janeiro de 2001 | 20h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.