Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

BC americano vê efeito limitado da turbulência

A atividade econômica nos EUA continuou a se expandir em julho e em agosto, diz o Livro Bege do Federal Reserve (Fed, banco central americano). O documento, que servirá de base para as decisões de política monetária a serem tomadas na próxima reunião do Comitê de Mercado Aberto (Fomc) do Fed, no dia 18, foi divulgado esta tarde.Segundo o Livro Bege, os distritos americanos de St. Louis e Kansas City descreveram o ritmo de atividade econômica como "moderado"; Cleveland, Chicago e Minneapolis relataram expansão "modesta" e os de Boston e Atlanta falaram em ritmo "misto" de atividade. Nova York relatou expansão contínua, enquanto Filadélfia, Richmond, Dallas e San Francisco falaram em desaceleração.O documento também diz que a maioria dos distritos "relatou que os acontecimentos recentes nos mercados financeiros haviam levado a padrões de exigência mais apertados para a concessão de empréstimos imobiliários, o que estava tendo um efeito perceptível na atividade do setor de imóveis, e vários notaram que a redução na disponibilidade de crédito somou-se à incerteza quanto ao tempo que os mercados de moradias vão levar para se recuperar.Embora vários bancos tenham notado que os mercados de imóveis comerciais também experimentaram condições de crédito mais apertadas, alguns comentaram que a disponibilidade e a qualidade do crédito permaneceram boas para a maioria dos tomadores de crédito, tanto pessoas físicas como empresas. Fora do setor imobiliário, os informes de que a turbulência nos mercados financeiros haviam afetado a atividade econômica durante o período da pesquisa "foram limitados".Varejo e indústriaSegundo o Livro Bege, as vendas no varejo em geral foram positivas, com o crescimento caracterizado como "de modesto a moderado". "Contudo, vários distritos descreveram as vendas de veículos e de móveis como fracas", diz o documento. A atividade industrial cresceu na maioria dos distritos, com informes de redução na demanda por veículos e materiais de construção. "A debilidade no setor de moradias aprofundou-se na maioria dos distritos, com vendas fracas ou em declínio e preços em queda ou estáveis", diz o livro. O texto acrescenta que a demanda por crédito por parte de empresas manteve-se estável ou recuou.O Livro Bege diz que "os informes sobre o setor de serviços foram, em geral, de neutros a positivos. Vários distritos relataram crescimento forte em serviços financeiros, saúde, tecnologia da informação e serviços técnicos e profissionais".Praticamente todos os distritos do Fed relataram "crescimento pelo menos modesto no nível de emprego", com exceção do de Chicago, que "caracterizou as condições de emprego como mistas". Segundo o texto, "embora alguns distritos tenham descrito as condições de emprego como apertadas, a maioria relatou que as elevações de salários foram estáveis ou moderadas. As pressões de salários foram intensas apenas em profissões isoladas cuja oferta é baixa".O documento diz ainda que "a maioria dos distritos relatou pouca mudança nas pressões de preços em geral. Houve pressão baixista nos preços de imóveis residenciais em praticamente todos os distritos".

RENATO MARTINS, Agencia Estado

05 de setembro de 2007 | 15h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.