BC anuncia medidas que liberam R$ 27,1 bi ao mercado

Quatro circulares publicadas no Diário Oficial visam ampliar a liquidez do sistema financeiro

Fabio Graner, Fernando Nakagawa e Neri Vitor Eich, Agência Estado

14 de outubro de 2008 | 10h03

O Banco Central (BC) publica nesta terça, 14, no "Diário Oficial da União" quatro circulares com as medidas anunciadas nesta segunda,13, relativas aos depósitos compulsórios para ampliar a liquidez no sistema financeiro como forma de enfrentar os efeitos, no País, da crise mundial de crédito. As medidas, que fazem parte da programação de liberação de R$ 100 bilhões anunciada ontem de manhã pelo BC, injetarão no sistema um total de R$ 27,1 bilhões.  A primeira circular publicada nesta terça, a de número 3409, estabelece que o custo das operações de redesconto com venda de carteira de crédito ao BC será de 4% ao ano, além da taxa básica de juros (Selic). De acordo com a circular, o valor dos ativos dados em garantia será atualizado diariamente, e as instituições poderão recomprar antecipadamente os ativos que tiverem sido entregues ao BC. Da Circular 3.410, também publicada na terça, já entrou em vigor o dispositivo que prevê a elevação de R$ 300 milhões para R$ 1 bilhão do valor de dedução do compulsório adicional sobre depósitos à vista e a prazo e sobre a poupança. Essa norma deve colocar R$ 8 bilhões no sistema financeiro. Outro dispositivo da Circular 3.410 eleva de R$ 700 milhões para R$ 2 bilhões o abatimento permitido para o recolhimento compulsório sobre a alíquota principal dos depósitos a prazo - atualmente em 15%. Essa medida entra em vigor no dia 17 e injetará R$ 13,1 bilhões no sistema. A Circular 3.411 aumenta de R$ 2,5 bilhões para R$ 7 bilhões o patrimônio de referência máximo dos bancos que venderem suas carteiras para outros bancos, que poderão abater do recolhimento sobre depósitos à prazo. O limite máximo de dedução sobe de 40% para 70% dos depósitos a serem recolhidos junto ao BC. O impacto estimado nessa medida, que vigora a partir de 17 de outubro, é de R$ 6 bilhões. A outra circular, a de número 3.412, determina que a operação de venda de dólares nos leilões do BC com compromisso de recompra futura gerará abatimento no recolhimento compulsório sobre os depósitos interfinanceiros das empresas de arrendamento mercantil (leasing) para as instituições que participarem desses leilões. Essa medida pode liberar até R$ 20 bilhões, segundo o BC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.