BC anuncia novas medidas e dólar recua a R$ 2,25

Após moeda bater R$ 2,53, autoridade anuncia venda de contratos de swap cambial no valor de até US$ 50 bi

Agência Estado,

23 de outubro de 2008 | 12h57

O dólar chegou a valorizar-se mais de 6% na manhã desta quinta-feira, 23, cotado a R$ 2,532, e fez com que o Banco Central (BC) adotasse novas medidas para conter a disparada da moeda. A autoridade monetária anunciou um programa de venda de contratos de swap cambial (operação em que o BC assume a posição de vendedora em dólar e compradora em taxa de juro) no valor de até US$ 50 bilhões - bem maior que os anunciados anteriormente. Com a medida, a moeda norte-americana recuava 5,46%, cotado a R$ 2,25.   Veja também: Governo autoriza estatização de instituições privadas no País Íntegra da MP no Diário Oficial  Consultor responde a dúvidas sobre crise   Como o mundo reage à crise  Entenda a disparada do dólar e seus efeitos Especialistas dão dicas de como agir no meio da crise A cronologia da crise financeira  Dicionário da crise    O recuo foi conseqüência também do anúncio de um leilão de venda de dólares no mercado à vista feito em seguida da divulgação do programa de venda de contratos de swap. O BC afirmou ainda que realizará um segundo leilão de swap cambial, em que serão vendidos 30 mil contratos para 1 de dezembro de 2008. A operação equivale a US$ 1,5 bilhão.   Segundo nota distribuída à imprensa, a decisão faz parte da estratégia "de mitigação do impacto da crise financeira internacional sobre a economia brasileira". A autoridade monetária explica que as vendas serão realizadas "de acordo com as necessidades de liquidez dos mercados".   No texto, o BC também cita que os swaps, assim como as operações com reservas e os empréstimos em moedas estrangeiras com garantias constituem mecanismos eficientes de atuação e continuarão a ser utilizados na medida em que o BC julgue necessário, com vistas a assegurar o bom funcionamento dos mercados".   Ações rápidas   Para o economista-chefe do Santander e ex-diretor de assuntos internacionais do Banco Central, Alexandre Schwartsman, o programa de venda de swap cambial de até US$ 50 bilhões deve ajudar a acalmar o estresse do mercado. "Isso não significa necessariamente que haverá uma mudança de tendência", observou. Para ele, o BC e o governo têm sido rápidos em suas ações e atuado em vários fronts para combater os efeitos da crise no Brasil e acabar com o empoçamento de liquidez.   Minutos antes do anúncio, em entrevista ao AE Broadcast Ao Vivo, Schwartsman havia dito que "achar que o BC aumentar (venda de swaps) vai fazer grande diferença é bobagem". "Me referia a montantes diários menores, algo como US$ 1 bilhão. Claro que um programa de US$ 50 bi faz diferença sim", explicou, quando questionado novamente sobre a questão, após o anúncio.    

Tudo o que sabemos sobre:
dólarcrise nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.