BC anuncia o 'PIX agendado', o substituto da TED para pagamento em data futura

O novo sistema brasileiro de pagamentos instantâneos estará em operação plena no dia 16 de novembro, segundo o Banco Central; transações devem ser liquidadas em menos de 10 segundos

Fabrício de Castro - O Estado de S.Paulo

Você pode ler 5 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Você pode ler 5 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Você leu 4 de 5 matérias gratuitas do mês

ou Assinar por R$ 0,99

Essa é sua última matéria grátis do mês

ou Assinar por R$ 0,99

BRASÍLIA - O Banco Central informou que o PIX – o sistema brasileiro de pagamentos instantâneos – contará com a ferramenta PIX Agendado. Por meio dela, será possível agendar nos bancos um pagamento instantâneo em data futura. 

O PIX é um sistema que permitirá pagamentos e transferências bancárias 24 horas por dia, 7 dias por semana, todos os dias. Segundo o BC, a expectativa é de que as transações sejam liquidadas em menos de 10 segundos. O PIX será uma alternativa para ferramentas de transferência como DOC e TED.  

Atualmente, as transferências de dinheiro ocorrem via Transferência Eletrônica Disponível (TED), ou DOC, mas ambas opções envolvem custos e são limitadas quanto a dias e horários. Para fazer uma TED, por exemplo, o correntista pode pagar taxas de até R$ 25 para o valor cair na conta do destinatário no mesmo dia, mas a operação só pode ser feita até as 17h, de segunda a sexta-feira.

Segundo o BC, a expectativa é de que as transações feitas pelo PIX sejam liquidadas em menos de 10 segundos. Foto: Pixabay

No DOC, o valor máximo a ser enviado é R$ 4.999 e o dinheiro só chega ao destino no próximo dia útil – e ainda pode demorar mais tempo se o processo for feito após as 22h. Com o PIX, os clientes poderão fazer transações imediatas em qualquer horário ou dia da semana.

Nesta quarta-feira, 12, o BC informou que instituiu oficialmente o arranjo de pagamentos PIX e aprovou seu regulamento. “O BC é responsável pela definição das regras do arranjo e pela implantação e operação da infraestrutura única e centralizada de liquidação e da base de endereçamento de dados, igualmente única e centralizada”, registrou a autarquia, em nota.

De acordo com o BC, “o início do cadastro de Chaves PIX (número de telefone celular, CPF, CNPJ ou e-mail), que facilitam a identificação do recebedor, se dará em 5 de outubro de 2020”. A autarquia reafirmou ainda que o início da operação plena está marcado para o dia 16 de novembro deste ano.

Por meio da nova tecnologia, os usuários terão seus dados resumidos em uma única ‘chave de endereçamento’. Em vez de passar esse conjunto de informações, o cliente informa somente o número de celular, ou o CPF, e todos os dados necessários para a transação já estarão disponíveis.

“A elaboração do regulamento contou com a participação dos agentes de mercado e dos potenciais usuários, por meio de discussões no âmbito do Fórum PIX e da Consulta Pública nº 76”, informou o Banco Central. “O BC analisou as contribuições recebidas e promoveu ajustes, buscando aprimorar o conjunto de regras que regem o funcionamento do PIX para possibilitar a construção de um meio de pagamento eficiente, seguro, inclusivo, competitivo e capaz de acomodar os mais diversos casos de uso.”

Tudo o que sabemos sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato