BC aponta alta do juro ao consumidor em abril

Os juros ao consumidor voltaram a subir em abril, acompanhando a alta da Selic, taxa básica de juros da economia, iniciada em setembro do ano passado. De acordo com o Departamento Econômico (Depec) do Banco Central (BC), a taxa de juros anual dos empréstimos bancários com recursos livres de direcionamento aumentou em abril com relação a março de 47,8% para 48,4%.Os juros das operações de crédito das pessoas físicas aumentaram no mesmo período de 64% para 64,5% e as taxas dos empréstimos às pessoas jurídicas aumentaram de 32,9% para 33,3% ao ano. A exceção acontece nos empréstimos consignados. A taxa de juros caiu em abril com relação a março de 37,1% para 36,5% ao ano. Em março, a queda da taxa de juros destes empréstimos havia sido de apenas 0,3%. O BC registrou, ao mesmo tempo, um aumento do spread (diferencial de taxas de captação e aplicação de recursos) dos empréstimos com recursos livres de 28,8 pontos porcentuais de março para 29 pontos porcentuais no mês passado. Nas operações com pessoas físicas, o spread aumentou de 45,3 pontos porcentuais para 45,4 pontos porcentuais. O spread dos empréstimos às pessoas jurídica, em contrapartida, ficou estável em 13,7 pontos porcentuais.Inadimplência recuaA taxa de inadimplência dos empréstimos bancários com recursos livres de direcionamento recuou neste período - de 7,7% registrado em março para 7,6% em abril. Nas operações com pessoas físicas, a taxa de inadimplência recuou de 12,7% para 12,3%. Já a taxa de inadimplência nos empréstimos às pessoas jurídicas, em contrapartida, aumentou de 3,8% para 4%.Volume de crédito cresceAs operações de crédito tiveram um crescimento de 1,7% em abril com relação a março. O aumento, de acordo com nota do BC, fez com que o estoque destas operações subisse dos R$ 506,702 bilhões de março para R$ 515,393 bilhões. O aumento fez com que a proporção do crédito em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) passasse dos 26,7% de março para 27%. Os empréstimos bancários, de acordo com a nota do BC, passaram a ter, com o resultado de abril, uma expansão de 6,3% no ano e de 20,5% em 12 meses até o mês passado.Os empréstimos com desconto em folha tiveram um crescimento de 6,7% em abril com relação a março. Com a variação, o saldo total destas operações aumentou dos R$ 15,509 bilhões de março para R$ 16,549 bilhões no universo dos 13 maiores bancos que operam com o crédito pessoal. Em março, as operações de crédito com desconto em folha tinham apresentado expansão de 10%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.