BC atrasa anúncio de leilão e desacelera queda do dólar

Demora de mais de cinco horas lançou dúvidas sobre a continuidade do programa de intervenções no mercado cambial

Célia Froufe, da Agência Estado,

17 de outubro de 2013 | 00h03

Cinco horas e meia depois do esperado, o Banco Central informou as condições para o leilão de swap cambial que realizará nesta sexta-feira.

Apesar da demora, que ainda não foi justificada pela assessoria de imprensa da instituição, mas que causou ruído no mercado financeiro, não houve mudanças nas condições da operação em relação aos demais leilões anunciados desde o último dia 22 de agosto, dentro do pacote de ração diária do BC para os investidores.

Pelo comunicado divulgado no BC Correio, o BC realiza nesta sexta, dia 17, mais um leilão de swap cambial tradicional, que equivale à venda de moeda no mercado futuro. A oferta será de até 10 mil contratos (US$ 500 milhões), como de costume, com vencimento em 5 de março de 2014.

O leilão faz parte do anúncio, feito em 22 de agosto, do novo programa de atuação diária no mercado de câmbio pelo BC, que perdurará até o fim do ano com um valor total aproximado de US$ 100 bilhões.

Até agora, o BC já injetou quase US$ 20 bilhões por meio dessas operações. A demora do anúncio pelo BC influenciou de forma consistente a cotação do dólar na quinta-feira.

A moeda dos EUA ante o real estava em R$ 2,1620 no balcão às 14h30, quando o BC geralmente anuncia a operação, mas chegou a tocar na mínima de R$ 2,1570 mais cedo.

Na medida em que o tempo foi passando e a autoridade monetária não se manifestava sobre o leilão, o dólar foi ganhando terreno ante o real, até terminar cotado a R$ 2,1760, com baixa de "apenas" 0,37% no mercado à vista. 

Tudo o que sabemos sobre:
dólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.