BC atribui piora na conta corrente a remessas de lucros

O chefe do Departamento Econômico (Depec) do Banco Central, Altamir Lopes, avaliou hoje que a piora do resultado das contas externas era esperada. "Os dados mostram deterioração das transações correntes. Isso não é novidade", diz. Altamir atribui a piora no saldo de todas as transações do País com o exterior, principalmente, ao aumento das remessas de lucros e dividendos feitas pelas empresas multinacionais instaladas no Brasil, que saltaram 118%. Ele rejeita a avaliação de que a piora de resultado das contas externas tenha relação com a crise internacional.Ao explicar o déficit de US$ 10,757 bilhões no primeiro trimestre deste ano, Altamir ressaltou o aumento do envio de lucros e dividendos entre janeiro e março de 2008. No período, as remessas saltaram 118,46% na comparação com igual período de 2007, para US$ 8,662 bilhões - o maior valor registrado no trimestre até hoje. O salto é explicado por ele pelo aumento da rentabilidade das empresas no Brasil, câmbio favorável para as remessas e necessidade de cobrir prejuízos no exterior.Ele lembrou que três setores - financeiro, veículos e metalurgia - responderam por 63,3% de todas as remessas no trimestre. Nesses três segmentos, algumas multinacionais têm registrado problemas financeiros nas sedes, o que aumenta a necessidade de reforço de caixa. Para endossar a avaliação de que o movimento não preocupa, ele observou que os mesmos três setores lideram o Investimento Estrangeiro Direto (IED). A participação, no entanto, é proporcionalmente menor. No trimestre, esses três ramos foram responsáveis por 32,9% de todo o IED registrado no período.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.