Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

BC autoriza consórcio de viagem internacional

O Banco Central (BC) voltou autorizar a formação de consórcios para financiar viagens internacionais, três anos depois de tê-los proibido. A medida, segundo a assessoria de imprensa do banco, foi tomada diante da melhora das contas externas do País e da conjuntura internacional. A decisão foi tomada pela diretoria do BC, no dia 17.Os consórcios ficarão sujeitos às normas do Banco Central. O prazo para constituição dos grupos é de 90 dias. Desde 1993 existe a possibilidade deste tipo de financiamento para viagens nacionais. Em 23 de dezembro de 1997, em razão da crise financeira internacional, o BC acabou com a possibilidade de formação de consórcios para viagens ao exterior, que tinha sido autorizada em setembro daquele ano.A medida do BC ocorre em um momento em que os gastos com viagens internacionais estão aumentando, de acordo com dados divulgados em dezembro. O saldo acumulado entre janeiro e novembro da chamada conta-turismo passou de US$ 1,298 bilhão em 1999 para US$ 1,891 bilhão em 2000. Os números do ano 2000 ainda são bastante inferiores aos gastos de US$ 4,146 bilhões verificado em 1998. Esta conta, que não inclui gastos com passagens, é apurada pelo BC em todas as negociações do mercado de câmbio, feitas por agências e locais autorizados para este tipo de negócio, tendo como base a cotação do dólar flutuante.

Agencia Estado,

19 de janeiro de 2001 | 13h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.