BC britânico defende uso de instrumentos 'não convencionais'

A economia britânica deve sofrer uma queda acentuada na primeira metade de 2009 e os formuladores de política precisam considerar a possibilidade de usar outros instrumentos e não apenas a taxa de juro para estimular a demanda, afirmou o presidente do Banco da Inglaterra, Mervyn King. Em seu primeiro grande discurso do ano, proferido no final da terça-feira, King também disse que a desvalorização da libra --que atingiu o menor patamar em sete anos e meio frente ao dólar-- ajudará a dar sustentação à economia este ano, uma vez que irá reduzir os preços do petróleo e dará também um alívio fiscal e monetário. "Apesar disso, os problemas no setor financeiro significam que 2009 será um ano difícil para todos nós. Uma contração marcante dos gastos e da produção está a caminho", disse King, durante seu discurso em Nottingham. "Com a taxa do banco já no menor nível da história do banco, é sensato ao comitê de política monetária se preparar para a possibilidade --e eu destaco que nós não estamos lá ainda-- de ter que agir além do instrumento convencional de taxa de juro e considerar uma série de medidas não convencionais".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.