BC chinês diz que aumento de liquidez pelo Fed é ineficaz

A política de afrouxamento monetário do Federal Reserve e de outros bancos centrais não responde aos problemas econômicos fundamentais e pode levar a um excesso de liquidez global e a uma busca por desvalorização cambial, afirmou o banco central da China neste domingo.

REUTERS

30 de janeiro de 2011 | 12h17

No relatório trimestral sobre política monetária, o Banco do Povo da China (PBOC) também confirmou que trabalha com a meta de expansão de 16 por cento da base monetária M2 neste ano, abaixo do crescimento de 19,9 por cento de 2010.

Segundo a instituição, a política do Federal Reserve está elevando o preço internacional das commodities e dos ativos nos mercados emergentes, incluindo a China.

"A política de 'quantitative easing' não responde ao fundamento dos problemas econômicos e pode causar liquidez excessiva em escala global, além de trazer risco de uma desvalorização competitiva das moedas", afirmou o BC chinês em seu relatório de 59 páginas.

"Isso está criando inflação importada e ingressos de capital de curto prazo, o que pressiona os emergentes."

Como resultado, a China precisa trabalhar duro para enxugar a liquidez e minimizar o impacto sobre a economia doméstica, acrescentou o documento.

O BC reiterou que manterá o iuan basicamente estável, ao mesmo tempo em que torna o regime de câmbio flutuante mais flexível.

A autoridade monetária acrescentou que continuará a usar diferentes ferramentas, como taxas de juros, depósitos compulsórios e operações no mercado aberto para frear a expansão da oferta monetária e do crédito bancário de maneira a reduzir as pressões inflacionárias.

Tudo o que sabemos sobre:
MACROCHINABC*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.