Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

BC da Austrália espera desvalorização da moeda

O Banco da Reserva da Austrália (RBA, na sigla em inglês) espera que a moeda do país se desvalorize em linha com as quedas nos preços das exportações de commodities do país à medida que a melhora do setor de mineração está atrasada.

AE, Agencia Estado

28 de outubro de 2013 | 21h13

O presidente do banco central australiano, Glenn Stevens, afirmou que o nível atual do dólar australiano não era consistente com as condições econômicas subjacentes.

"Esses níveis de taxa de câmbio não são suportados por níveis relativos de custos e produtividade da Austrália", disse Stevens. "Além disso, as condições de comércio tendem a piorar a partir de agora. Por isso parece bastante provável que, em algum momento no futuro, o dólar australiano se desvalorize substancialmente", acrescentou o presidente do RBA.

O dólar australiano, que foi negociado perto das máximas históricas frente ao dólar nos últimos três anos, atingiu o seu nível mais alto em quatro meses em outubro. A ascensão , depois de uma queda recente, reacendeu a preocupação de que o fortalecimento da moeda australiana pode extinguir o crescimento das exportações, que continuam fracas.

Mesmo tendo se desvalorizado cerca de 10% frente aos picos alcançados em abril, o dólar australiano é negociado a US$ 0,9600, impulsionado pela fraqueza do dólar. Além disso, Stevens disse que a preocupação com os recentes ganhos nos preços dos imóveis era prematura.

"No meu ponto de vista, a elevação nos preços das casas é parte da dinâmica cíclica. Um aumento de preços reverte um declínio anterior. É muito cedo para se preocupar com o preço dos imóveis na Austrália", explicou Stevens.

O presidente do RBA ainda afirmou que não está claro quando a melhora da confiança vai impactar na economia australiana e disse que é importante restabelecer os fundos do banco central rapidamente.

Stevens acredita que a economia dos Estados Unidos está melhorando e demonstrou confiança de que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) deve iniciar a redução do seu programa de estímulos à economia norte-americana. Além disso, O presidente do BC australiano afirmou que o crescimento econômico da China ainda é robusto. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
austráliabcrbadólar australiano

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.