BC da China diz que irá manter nível apropriado de juro

O banco central da China, o PBoC, disse que pretende manter taxa de juro apropriada, que administrará adequadamente a liquidez para estabilizar aumentos de preços e continuará com uma política monetária "prudente" em 2011. Também, o BC local elogiou, pela primeira vez, a reforma do yuan encaminhada desde meados do ano passado, considerando que tem havido impacto positivo sobre a economia real. Os comentários foram feitos pelo People''s Bank of China no relatório de política monetária relativo ao quarto trimestre de 2010, divulgado neste domingo.

AE, Agencia Estado

30 de janeiro de 2011 | 13h56

O PBoC diz que uma política monetária prudente é um posicionamento que ajuda a evitar bolhas nos preços de ativos e a administrar as expectativas de inflação.

Em uma entrevista para a Dow Jones, durante um encontro em Kyoto, o presidente do PBoC, Zhou Xiaochuan, disse que o BC local deveria permanecer vigilante quanto à inflação. "A inflação ainda está mais elevada do que muitos esperavam. Pode ainda subir um pouco mais, então nós deveríamos permanecer vigilantes quanto a isso", afirmou Zhou. Ao ser questionado se a China precisava apertar mais os depósitos compulsórios para lidar com a entrada de capital, Zhou acrescentou: "talvez precisemos continuar nossos esforços".

Quanto ao documento divulgado pelo BC, há citações sobre a tentativa de utilização de todos os instrumentos de política econômica, incluindo possíveis elevações de juros e apreciação mais rápida do yuan para conter a inflação, embora não haja detalhes sobre planos para reforma adicional do câmbio.

O PBoC diz que a reforma da taxa de câmbio terá maior impacto nos esforços para ajustar a estrutura de comércio exterior da China e favorecer a indústria chinesa. O PBoC observa que a flexibilidade do yuan tem aumentado consideravelmente desde 19 junho de 2010. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinajurosPBoC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.