BC da China rebate crítica dos EUA sobre câmbio

Su Ning, um dos diretores do banco central da China, contestou comentários feitos pelo indicado para o cargo de secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Timothy Geithner, dizendo que eles "não condizem com os fatos". Na última quinta-feira, Geithner afirmou que o presidente dos EUA, Barack Obama, acredita que a China "manipula" sua moeda, o yuan. "Acreditamos que, diante da atual crise financeira, haveria um espírito de autocrítica que seria benéfico, na tentativa de se encontrar formas de resolver a questão e superar a crise", disse Su, acrescentando que é imperativo evitar quaisquer desculpas para encorajar o protecionismo comercial. Em contrapartida, o ministro de Relações Exteriores da China, Yang Jiechi, disse que seu país está comprometido em trabalhar com o governo de Obama para fortalecer os laços e a cooperação. Ele telefonou ontem para a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, segundo a agência de notícias estatal Xinhua, no 30º aniversário das relações oficiais entre os dois países. "As relações entre os EUA e a China estão entre as mais importantes relações bilaterais do mundo", teria dito Yang, segundo a agência Xinhua.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.