Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

BC da Índia mantém juro, mas eleva taxa de reserva bancária

Com essa medida, o país é mais um a iniciar a suspensão de medidas adotadas para amenizar os efeitos da crise

Nathália Ferreira, da Agência Estado,

27 de outubro de 2009 | 10h33

O banco central da Índia manteve nesta terça-feira, 27, as taxas básicas de juro, conforme previsto, mas inesperadamente pediu aos bancos que separem uma porção maior de depósitos em bônus, na primeira ação rumo à retirada da política monetária afrouxada. Com essa medida, a Índia, como a Austrália, é mais um país a suspender medidas adotadas para amenizar os efeitos da crise global.

 

Veja também:

especialUm ano após auge da crise, economia se recupera

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialDicionário da crise 

especialComo o mundo reage à crise 

 

O Reserve Bank of India também elevou fortemente a projeção de inflação para o ano fiscal que termina em março, para 6,5% com viés positivo, de 5%, em meio aos crescentes preços de alimentos. O RBI manteve a taxa de recompra, ou taxa de concessão de empréstimos, em 4,75% e a taxa de recompra reversa, ou taxa para tomar empréstimos, em 3,25%.

 

O quociente de liquidez estatutária - parcela dos depósitos que os bancos precisam separar em caixa, ouro ou bônus do governo - foi elevado em 100 pontos-base, para 25%. O compulsório foi mantido em 5%. "Embora reverter as medidas convencionais não seja considerado apropriado no momento, muitas das medidas não convencionais podem ser revertidas imediatamente", disse o RBI. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Índiaeconomiacrisejuroreservas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.