BC decreta intervenção no Banco Santos

O Banco Central decidiu na noite de sexta-feira decretar intervenção no Banco Santos S.A. e na Santos Corretora de Câmbio e Valores Mobiliários S.A. Segundo a Assessoria de Imprensa do BC, a intervenção foi decretada por quatro motivos. O primeiro foi o comprometimento da situação econômica e financeira das duas instituições. O segundo, a deterioração da situação de liquidez de ambas. Além disso, o banco e a corretora infringiram, segundo o BC, as normas que regem a atividade bancária. Ainda de acordo com os assessores do Banco Central, houve inobservância das determinações do BC. O diretor de Fiscalização do BC, Paulo Cavalheiro, deve explicar em detalhes a intervenção no Banco Santos e na Santos Corretora neste sábado. O Banco Central nomeou o chefe do seu Departamento de Supervisão Indireta interventor no Banco Santos e na Santos Corretora, Vânio Aguiar. Enquanto durar a intervenção, o banco - cujo controlador é Edmar Cid Ferreira -, ficará fechado ao público. Três desfechos são possíveis para o processo de intervenção: ou ela é transformada em liquidação, ou o BC decreta a falência do banco e da corretora, ou as duas instituições são autorizadas a voltar a funcionar caso as irregularidades sejam sanadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.