BC defende que alta de juros não afetará crescimento

A adoção de uma postura mais ativa por parte do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que poderia ser traduzida em aumento da Selic, a taxa básica de juros da economia, não comprometeria o processo de retomada do nível de atividade da economia brasileira. A avaliação consta da ata da última reunião do Comitê, que decidiu pela manutenção da Selic em 16% ao ano.Os integrantes do Copom defendem que uma eventual subida na taxa básica de juros garantiria a manutenção da inflação em patamares adequados às metas fixadas pelo governo, o que deve ser entendido como um bom sinal para a economia e seu processo de crescimento sustentado.Crescimento requer cautela O ritmo acelerado de recuperação da economia brasileira também é apontado pelo Comitê como um elemento que requer "cautela redobrada" na condução da política de juros no País. O Copom chama atenção para crescimento no uso da capacidade instalada da indústria brasileira, onde alguns segmentos já estão atingindo níveis de utilização próximos a patamares recordes.No cenário atual, com demanda se expandindo rapidamente, o Copom defende que é preciso monitorar "com muita atenção" o risco de descompasso entre o produto efetivo e o potencial. Veja maos informações sobre a ata do Copom no link abaixo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.