BC deve fazer rolagem integral de contratos de swap cambial que vencem em novembro, diz fonte

BC deve fazer rolagem integral de contratos de swap cambial que vencem em novembro, diz fonte

O dólar foi turbinado por expectativas sobre o futuro das políticas monetárias dos Estados Unidos e da Europa e por preocupações sobre as eleições presidenciais no Brasil

PATRÍCIA DUARTE, REUTERS

25 de setembro de 2014 | 18h43

Diante da forte alta recente do dólar, que fechou colado em 2,43 reais nesta quinta-feira, o Banco Central deve manter a oferta de contratos de swap cambiais em outubro em quantidade suficiente para rolar 100 por cento dos vencimentos em novembro, disse à Reuters uma importante fonte da equipe econômica.

"Há possibilidade bastante razoável”, disse a fonte, que falou sob condição de anonimato, ao ser questionada se o BC manteria os leilões de swaps cambiais --equivalentes à venda de dólares no mercado futuro-- para rolar 100 por cento dos contratos que vencem em 3 de novembro, equivalentes a 8,840 bilhões de dólares.

Nesta quinta, o dólar avançou 1,95 por cento, a 2,4299 reais na venda, após bater 2,4312 reais na máxima do dia, maior nível intradiário desde 13 de fevereiro. A divisa norte-americana foi turbinada por expectativas sobre o futuro das políticas monetárias dos Estados Unidos e da Europa e por preocupações sobre as eleições presidenciais no Brasil.

Para a fonte da equipe econômica ouvida pela Reuters, ficar comprado em dólar no nível atual “começa a ficar perigoso”, porque se houver alguma mudança no cenário, o ajuste no câmbio pode ser mais brusco. A avaliação é que o mercado de câmbio continuará sensível aos cenários externo e interno.

Na terça-feira, após o dólar ter superado 2,40 reais, o BC anunciou o aumento de sua atuação no mercado cambial, ofertando mais swaps para rolar os contratos que vencem em outubro, passando a colocar até 15 mil contratos diariamente. Com isso, rolará praticamente 100 por cento dos contratos que vencem em 1º de outubro, no montante equivalente a 6,677 bilhões de dólares.

Até então, o BC vinha rolando entre 50 e 90 por cento dos lotes de swaps a vencer em cada mês.

A fonte disse ainda que a autoridade monetária não pensa em ampliar os leilões diários de até 4 mil swaps, que fazem parte do programa de atuação no câmbio iniciado em agosto do ano passado, e lembrou que sempre em finais de ano o BC faz leilões de linha --venda de dólares com compromisso de recompra. Ao ser questionada se o BC poderia antecipar leilões de linha diante do atual quadro, a fonte lembrou que o mercado de dólares à vista está líquido, apesar da atual volatilidade.

Tudo o que sabemos sobre:
DOLARROLAGEMFONTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.