Dida Sampaio/Estadão - 3/12/2021
Dida Sampaio/Estadão - 3/12/2021

BC reduz projeção do PIB de 2022 para 1%; economia deve crescer 4,4% neste ano

Expectativa para o crescimento da economia este ano passou de alta de 4,7% para 4,4%.

Eduardo Rodrigues e Thaís Barcellos, O Estado de S.Paulo

16 de dezembro de 2021 | 09h21

BRASÍLIA - O Banco Central (BC) reduziu sua estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2022 de 2,1% para 1%. A nova projeção consta do Relatório Trimestral de Inflação (RTI), divulgado nesta quinta-feira, 16.

“Surpresas negativas em dados recentemente divulgados - que sugerem perda de dinamismo da atividade e reduzem o carregamento estatístico para o ano seguinte -, novas elevações da inflação, parcialmente associadas a choques de oferta, e aumento no risco fiscal pioram os prognósticos para a evolução da atividade econômica no próximo ano”, explicou o documento. 

O relatório de dezembro também atualizou as projeções para o PIB de 2021. A expectativa para o crescimento da economia este ano passou de alta de 4,7% para 4,4%. 

O Índice de Atividade (IBC-Br) divulgado ontem pelo BC apontou queda de 0,40% em outubro ante setembro, na série já livre de influências sazonais (uma espécie de compensação para comparar meses diferentes).

No último relatório Focus, os economistas consultados semanalmente pelo BC projetaram alta de 4,65% no PIB de 2021 e de 0,50% no PIB de 2022.

Projeções para IPCA

O BC manteve suas estimativas de inflação para anos de 2021 a 2023 no cenário de referência, que utiliza juros conforme o Relatório de Mercado Focus e câmbio atualizado de acordo com a Paridade do Poder de Compra (PPC).

O relatório divulgado hoje indica um Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 10,2% para este ano, 4,7% no próximo e 3,2% em 2023. Essas projeções constaram na ata e no comunicado do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom). No relatório trimestral, o BC ainda informou projeção de 2,6% para 2024, de 2,8% no documento de setembro.

A estimativa para 2021 encontra-se muito acima da margem de tolerância da meta (3,75%, com 1,50 ponto porcentual de banda), enquanto, para 2022, se aproxima do teto (5,0%). Para este ano, a probabilidade de estouro do teto da infalção é de 5,25% da meta é de 100%, segundo o BC. 

Para 2022, a meta de inflação é de 3,50%, com margem de 1,5 ponto (taxa de 2,00% a 5,00%). O BC aponta que, em seu cenário de referência, a probabilidade de a inflação ficar acima do teto da meta no ano que vem é de 41%. O último relatório trimestral, divulgado em setembro, apontava 17% de probabilidade.

No último relatório Focus, os economistas consultados semanalmente pelo BC projetaram alta de 10,05% no IPCA de 2021, de 5,02% em 2022 e de 3,46% em 2023, além de 3,09% em 2024.

Agropecuária, indústria e consumo

Entre os componentes do PIB para 2021, o BC alterou a projeção para a agropecuária de crescimento de 2,0% para retração de 0,6%. No caso da indústria, a estimativa de recuperação passou de 4,7% para 4,1% e, para o setor de serviços, de alta de 4,7% para 4,6%.

“O declínio esperado na agropecuária em 2021 resulta, em especial, de estimativas de quedas na produção em culturas com participação elevada no setor - como milho, cana-de-açúcar, café, algodão e laranja - decorrentes primordialmente de problemas climáticos, não compensadas inteiramente pela safra recorde de soja”, destacou o BC.

Em relação aos componentes da demanda, o RTI informou alteração de 2,2% para 1,1% na expectativa de crescimento do consumo das famílias e de 2,5% para 2,4% previsão de alta do consumo do governo.

Investimentos e transações correntes

O documento de hoje indica ainda que a projeção de 2022 para a Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) – indicador que mede o volume de investimento produtivo na economia – passou de queda de 0,5% para um forte recuo de 3,0%. Todas as estimativas anteriores constavam do RTI divulgado em setembro.

O relatório aponta que a projeção para o resultado das transações correntes do País é de um déficit de US$ 30 bilhões. No RTI anterior, a previsão era de déficit de US$ 21 bilhões. A projeção para o Investimento Direto no País (IDP) neste ano foi de US$ 55 bilhões para US$ 52 bilhões.

A estimativa para o saldo líquido de investimento de estrangeiros em carteira - incluindo ações e títulos de renda fixa - continuou em superávit de US$ 21 bilhões.

A previsão para as transações correntes de 2022  passou de déficit de US$ 14 bilhões para US$ 21 bilhões. A projeção do BC para os investimentos em portfólio em 2022 passou de ganho de superávit de US$ 23 bilhões para US$ 11 bilhões. A projeção para o IDP no ano que vem foi de US$ 60 bilhões para US$ 55 bilhões. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.